Fichas-sujas continuam campanha no PA

Jader Barbalho (PMDB) e Paulo Rocha (PT) tiveram registros negados pelo TSE, mas prosseguem pedindo voto

Menezes y Morais, iG Brasília, e Pollyanna Bastos, iG Pará |

A decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de manter a impugnação de suas candidaturas com base na Lei da Ficha Limpa não impediu que dois candidatos ao Senado pelo Pará continuem em campanha: Jader Barbalho (PMDB) e Paulo Rocha (PT). Ambos recorreram ao Supremo Tribunal Federal (STF) e enquanto a decisão não sai, têm o direito de continuar pedindo votos.

Ontem o TSE divulgou nota em Brasília (DF) afirmando que os votos nos candidatos enquadrados com base na Lei da Ficha Limpa serão considerados nulos. Também ontem, em Belém (PA), Jader concedeu entrevista coletiva para reafirmar que continua em campanha e criticou a imprensa. Rocha não concedeu entrevista, mas prossegue pedindo votos, de olho nas eleições deste domingo (3).

"Tendenciosa"

Aos jornalistas, Jader acusou a imprensa de “ser tendenciosa e confundir o eleitor paraense em relação ao caso”. A última pesquisa do Ibope mostra Jader como favorito na corrida para o Senado no Pará, com 42% das intenções de voto, Flexa Ribeiro (PSDB), principal concorrente de Jader, aparece com 33% das intenções de votos, de acordo com o Ibope.

A liderança de Jader é mantida desde a primeira pesquisa, quando aparecia com 50% de apoio dos eleitores. Jader foi considerado inelegível pelo TSE por ter renunciado ao mandato de senador, em 2001, quando era investigado pela Justiça sob suspeita de corrupção. O registro de sua candidatura foi liberado pelo Tribunal Regional Eleitoral do Pará (TRE-PA).

TSE

Diante a liberação da candidatura de Jader, o Ministério Público Federal (MPF), autor do pedido de impugnação, interpôs recurso junto ao TSE, que atendeu ao pedido. O TSE indeferiu todos os recursos interpostos por candidatos enquadrados com base na Lei da Ficha Limpa, inclusive os de Jader e Paulo Rocha.

Em nota divulgada ontem em Brasília (DF) o TSE esclareceu que os votos nos candidatos enquadrados na Lei da Ficha Limpa “serão nulos.” O TSE disse que os votos nos candidatos que tiveram pedidos de registro de candidaturas negadas com base na Lei da Ficha Limpa não serão considerados no cálculo das bancadas dos partidos.

No início do mês o TSE considerou inválida a candidatura de Jader e ontem confirmou a posição no julgamento do recurso apresentado pelo candidato. A decisão agora cabe ao STF, que só deve se pronunciar depois das eleições. Isso permite aos candidatos nessa situação prosseguirem em campanha.

Paulo Rocha também teve o registro de sua candidatura impugnado pelo TSE e aguarda julgamento do STF, mas a exemplo de Jader, continua na disputa. Levantamento do Portal iG revela que existem 224 candidatos no país considerados “fichas-sujas” Justiça Eleitoral.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG