FHC diz que governo Lula foi `intransigente¿

Após votar em São Paulo, ex-presidente afirma que Lula e PT 'dinamitaram' pontes de diálogo entre os partidos

Rodrigo Rodrigues, iG São Paulo |

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso votou na manhã deste domingo em um colégio no bairro de Higienópolis, em São Paulo, e afirmou que na gestão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva não houve abertura para a cooperação entre PSDB e PT. “O governo do presidente Lula se caracterizou pela intransigência e pela intolerância. Eles só pensam que um é bom e o outro é mau”.

Fernando Henrique disse esperar que essa rivalidade perca espaço, para que o País possa avançar politicamente. “Ficamos apenas num cara ou coroa, e o Brasil precisa de pontes. E as pontes precisam ser construídas. Por enquanto, o PT e o presidente Lula foram dinamitadores dessas pontes”, afirmou.

Agência Estado
Ex-presidente Fernando Henrique Cardoso vota em São Paulo
Ele declarou ainda que o PT e o PSDB já deveriam ter trabalhado, durante a campanha presidencial, para viabilizar um ambiente político para discutir temas importantes para o País, a exemplo das reformas política e tributária. Ele afirmou que isso não ocorreu ainda e que agora será preciso "criar um clima" para ter uma transição de governo com mais cooperação.

FHC acrescentou também que não acredita que a candidata petista à Presidência, Dilma Rousseff, se eleita, contribuirá para unir os partidos. “Independente de quem ganhar, o Brasil precisa pensar mais sobre o seu futuro. Se você olhar o que o PT fez nos últimos oito anos, ele nunca assinou proposição nenhuma de diálogo”.

Na avaliação de FHC, houve abuso de poder político “indiscutível” do presidente Lula nesta campanha eleitoral. Ele afirma que também que está otimista com relação à vitória de José Serra neste domingo, mesmo com as pesquisas sendo desfavoráveis ao candidato tucano. O ex-presidente da República comparou as pesquisas de intenção de voto com previsão do tempo, ironizando os institutos de pesquisa. "Eu estava com um medo danado de chuva hoje. A previsão do tempo era de chuva. Mas hoje está sol", disse FHC. "Não quero desacreditar as pesquisas e dizer que elas estão erradas. O que está errado é que nem sempre as pesquisas têm capacidade de captar todas as tendências. Eu mesmo já ganhei uma eleição nas pesquisas e perdi nas urnas", completou FHC.

Café com Lula

Acompanhado pelo secretário de Cultura do Estado de São Paulo, Andrea Matarazzo, o ex-presidente foi até o local de votação caminhando. Durante o trajeto, recebeu aplausos e cumprimentos de eleitores. Ao chegar ao colégio, brincou dizendo que, apesar da agressividade da campanha, ele pretende chamar o presidente Lula para um café, quando o mandato dele terminar. “Mas é só um café, porque todo mundo sabe da minha fama de pão duro”.

Durante a caminhada até a o colégio Sion, Fernando Henrique comemorou o fato das eleições brasileiras estarem transcorrendo de forma pacífica. Ele lembrou que em outros países, há muito tensão durante o dia de votação. "Na Líbia, por exemplo, as eleições são no meio da semana e muitas vezes nem se sabe que está ocorrendo eleição. Nossa democracia é um exemplo. Nossa apuração é "um show" democrático", avaliou o ex-presidente e sociólogo.

Apesar da empolgação, FHC não poupou Lula e o PT de críticas e disse que a campanha deste ano não discutiu os interesses reais do País. Para ele, houve radicalizações desnecessárias de ambos os lados. "Houve muitos insultos e até agressões físicas, o que é inaceitável. Às vezes a radicalização é boa para fazer o País evoluir. Mas desta vez não acrescentou nada. Houve uma presença além do limite do presidente da República, usando todo o seu poder. O que também é intolerável. Não foi uma campanha que, digamos, tenha melhorado a cultura democrática brasileira", pontou o ex-presidente.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG