Fala de Lula será julgada quando chegar ao TSE, diz Lewandowski

O presidente do TSE estava presente quando Lula pediu desculpas por ter citado Dilma em um evento oficial, mas, voltou a elogiá-la

Agência Brasil |

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Ricardo Lewandowski, afirmou há pouco que a Corte só irá examinar as declarações do presidente Luiz Inácio Lula da Silva feitas ontem (13) em favor da candidata à sucessão presidencial pelo PT, Dilma Rousseff, se for provocada.

AE
no Palácio do Itamaraty, Lula é observado pelo presidente do Tribunal Superior Eleitoral, ministro Ricardo Lewandowski, ao falar sobre referência a Dilma no dia anterior
Ontem, durante cerimônia de lançamento do edital para licitação do Trem de Alta Velocidade (TAV), no Centro Cultural Banco do Brasil, sede provisória do governo, Lula disse que o sucesso do projeto do trem-bala deve-se à Dilma, que antes de ser candidata ocupou a Casa Civil.

Hoje, Lula pediu desculpas por ter citado o nome de Dilma em um evento oficial, mas novamente elogiou a petista durante a 4ª Cúpula Brasil-União Européia, que ocorre no Itamaraty.

Perguntado por jornalistas se Lula teria cometido abuso de poder ou infringido a legislação eleitoral nos dois casos, Lewandowski afirmou que examinará o caso se ele chegar ao TSE. “Vamos examinar esse caso quando chegar ao TSE. Tudo depende do contexto e das provas que integrarem o processo. O TSE não age, reage. Uma impugnação, algum processo em relação a essa declaração será examinada”.

    Leia tudo sobre: Ricardo LewandowskiLulaDilma RousseffTSE

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG