Ivo Cassol foi enquadrado na Lei Ficha Limpa. TRE também negou os registros de candidatura dos suplentes

O Tribunal Regional Eleitoral de Rondônia (TRE-RO) negou nesta quarta-feira, 3, o registro de candidatura do ex-governador Ivo Cassol (PP), candidato ao Senado. E indeferiu os pedidos de registros de candidatura dos suplentes do candidato, Reditário Cassol e Odacir Soares Rodrigues.Cassol respondeu a dois pedidos de cassação de mandato.

O primeiro por abuso de poder político e econômico e o segundo por compra de votos. As denuncias foram feitas pelo Ministério Público Federal. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) julgou uma ação improcedente e a outra foi suspensa por uma ação cautelar. Os advogados de Ivo Cassol alegaram que o vice-governador, João Cahúlla, não tinha sido ouvido no processo.

Os autos retornaram ao TRE-RO para que Cahúlla fizesse sua defesa e em seguida, o processo retornaria para o TSE. A ação cautelar pedia a suspensão do processo até que fosse julgada a situação, mas a defesa de Cassol não fez nenhum pedido de elegibilidade após a vigência da lei do Ficha Limpa, que prevê inelegibilidade em casos de condenação por órgão colegiado.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.