Eventual governo de Siqueira pode ressuscitar o ódio, diz Gaguim

Governador e candidato à reeleição promete paz e políticas públicas de combate ao crack no Tocantins

Gilson Cavalcante, iG Tocantins |

“Não vamos deixar o atraso e o ódio retornarem ao Tocantins, para tirar o salário dos professores, perseguir os trabalhadores, colocar tanque de guerra nas ruas. Não vamos interromper a era democrática, iniciada por Marcelo Miranda, que eu mantenho,” afirmou o governador e candidato à reeleição Carlos Gaguim (PMDB), referindo-se ao adversário Siqueira Campos (PSDB).

Gaguim, da coligação Força do Povo, lembrou que estava “rebatendo” críticas do ex-governador Siqueira, da “Tocantins Levado a Sério.” Gaguim ressaltou que seu governo “representa o novo, o democrático, contra aquele que representa a ditadura,” referindo-se a Siqueira. “Os nossos adversários não têm a capacidade do diálogo,” assegurou.

Por isso, acrescentou, “preferem os blogs para atacar moralmente o governador, o senador Marcelo Miranda ou do Paulo Mourão. Vamos dar a resposta no voto.” Gaguim disse ainda que prefere “propostas ao invés de trocar farpas” com o adversário. No setor de segurança pública, vai fazer “investimentos na valorização dos profissionais.”

O investimento será em “equipamentos para as polícias Militar e Civil. Vamos construir um pacto pela paz, com as igrejas e os jovens, para que possamos diminuir a criminalidade e acabar com o tráfico de drogas.” Ainda de acordo o governador, “o crack é uma droga que está espalhada pelo Brasil.” Na área da Habitação, Gaguim prometeu trabalhar para “construir entre 30 e 40 mil casas."

Para o Meio Ambiente, Gaguim disse que se for eleito  "fará a preservação ambiental de 50% do território do Estado. E na área da saúde vou construir Clínicas da Mulher nos 139 municípios tocantinenses,” prometeu.

    Leia tudo sobre: eleições togaguimsiqueiratocantinscríticas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG