Amigas de trabalho foram das poucas pessoas que conseguiram furar bloqueio para ver sede da Universal de perto, nesta quinta

Mesmo distantes de terem a oportunidade de conhecer o interior do Templo de Salomão, as colegas de trabalho Ana Lúcia Cidrão, 32 anos, e Fernanda Sales, 23, mal conseguiam esconder a empolgação com a inauguração da sede mundial da Igreja Universal do Reino de Deus, na noite desta quinta-feira (31), na zona leste de São Paulo.

Ana e Fernanda fazem selfie em frente ao mega-templo da Igreja Universal
Bruna Talarico/ iG
Ana e Fernanda fazem selfie em frente ao mega-templo da Igreja Universal

"Sinto a presença de Deus só de olhar", afirmou, entre um selfie e outro com a amiga, Fernanda, auxiliar contábil de uma empresa localizada em frente ao templo que mora em Itaquecetuba, na Grande São Paulo. As duas foram das poucas pessoas a conseguirem dois feitos: acompanhar todo o processo de construção do templo desde a fundação e furar o bloqueio feito nas proximidades do monumento no dia de sua inauguração para poderem observar as projeções 3D feitas nele, na Rua João Boemer com a Avenida Celso Garcia, no bairro do Brás. Mas, frequentadoras de igrejas evangélicas, elas querem ir além.

"Quero muito ver o interior do templo, assistir a um culto, conhecer a réplica do tabernáculo", diz Ana, se referindo à réplica Arca da Aliança que o bispo Edir Macedo mandou instalar no centro do templo. "É esplendoroso. Para quem não tem a oportunidade de ir a Israel é uma maneira de ver as pedras, de ter perto as oliveiras."

Leia também:
Você sabe por que o Templo de Salomão ganhou esse nome?
Templo de Salomão fica sem luz e Dilma sobe três andares de escada
Comércio na região do Brás pega carona no Templo de Salomão

Apesar da empolgação para conhecer o espaço, nenhuma das duas se cadastrou para visitá-lo, o que será possível ao público a partir de 22 de agosto. Elas também não fazem parte da Igreja Universal do Reino de Deus: Ana é da Nova Filadélfia, enquanto Fernanda, da Nova Geração.

Veja fotos do Templo de Salomão:


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.