Patrulhamento é reforçado no Complexo do Lins depois de ataque à UPP

Por Agência Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Segundo a Secretaria Municipal de Educação, escola que atende a 403 alunos, ficou sem aula nesta quinta-feira

Agência Brasil

A Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP) do Rio de Janeiro reforçou o policiamento no Complexo do Lins, na zona norte da cidade. Na noite de ontem (22), homens atiraram contra policiais e incendiaram a base da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Morro do Amor, no conjunto de favelas.

Segundo a assessoria de imprensa da CPP, por volta das 23h, homens armados atiraram contra policiais que faziam patrulhamento próximo à base da UPP. Em seguida, coquetéis-molotovs foram arremessados contra os contêineres que compõem a base. Dois deles pegaram fogo.

Bombeiros foram chamados para controlar as chamas e, em seguida, o policiamento foi reforçado por homens de outras UPPs e dos batalhões de Operações Especiais (Bope) e de Choque. Três pessoas ficaram feridas.

Um policial levou um tiro no pé e foi medicado no Hospital Naval Marcílio Dias, localizado próximo à comunidade. Mais duas pessoas, que a polícia não identificou, deram entrada, baleadas, nos hospitais Salgado Filho e do Andaraí.

Segundo a Secretaria Municipal de Educação, uma escola no Complexo do Lins, que atende a 403 alunos, ficou sem aula hoje (23) devido ao tiroteio de ontem.

Leia tudo sobre: Rio de JaneiroLinstirosataqueUPP

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas