Festa na areia da Princesinha do Mar, no Rio de Janeiro, não foi propriamente otimista com previsões para o próximo ano


Junto com a virada do ano, chegam também as previsões e desejos para os próximos 365 dias. Em Copacabana, em uma das festas mais famosas do mundo, o otimismo não necessariamente tomou conta do público que compareceu para conferir a queima de fogos.

Na passagem de ano, o público enfrenta longas filas para usar os banheiros químicos em Copacabana
Nina Ramos/iG Rio
Na passagem de ano, o público enfrenta longas filas para usar os banheiros químicos em Copacabana

O iG caminhou pelas areias da Princesinha do Mar e ouviu desabafos de pessoas descrentes com o Brasil como sede da Copa do Mundo, além de outras coisas. Renata Silva Oliveira, de 33 anos, por exemplo, trouxe a família de Goiás para o primeiro réveillon no Rio e comentou sobre a segurança. "Nós vamos sediar uma Copa, e o Rio ainda tem essa fama de cidade perigosa. Nós viemos com esse medo, todo mundo faz recomendações, mas até que nos surpreendemos. Precisa mudar essa imagem", opinou.

Já Hamilton José, de 54 anos, também de Goiás, acredita que o país vai passar vergonha. "O povo está preocupado só em fazer estádio, e é só estádio ruim, e não liga para a estrutura dos aeroportos, não liga para mobilidade, o transporte é uma vergonha... É difícil", falou ao iG.

Casal de Campinas,  Rodrigo Cappa, de 26 anos, e Patricia Juliato, que pede fortuna e menos impostos em 2014
Nina Ramos/iG Rio
Casal de Campinas, Rodrigo Cappa, de 26 anos, e Patricia Juliato, que pede fortuna e menos impostos em 2014

O jovem casal de Campinas, interior de São Paulo, Rodrigo Cappa, de 26 anos, e Patricia Juliato, de 28 anos, já tinha a resposta estampada na cor das camisetas amarelas. "A gente quer de volta tudo que é tirado da gente com os impostos. Quanto mais a gente trabalha, menos dinheiro a gente tem", falou o rapaz. "É só um recadinho para Dilma e sua equipe", completou.

Em outro ponto da praia, um grupo da capital de São Paulo relembrou os protestos que marcaram 2013 e destacaram a educação como ponto principal de mudança para 2014. "O povo precisa respeitar e o governo precisa dar atenção para a educação este novo ano", comentou Raul Kantor, de 23 anos. "A política, em geral, precisa mudar. Saúde, segurança... Tudo vem na seqüência", disseram Thais Padula Ferreira, de 22 anos, e Marcelle Albergaria, de 22.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.