Justiça de MG suspende liminar que impede ação policial em manifestações

Por Agência Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Integrante do Comitê dos Atingidos pela Copa lamenta decisão, afirmando que ela levará PM a voltar a "cercar manifestantes"

Agência Brasil

O presidente do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, desembargador Herculano Rodrigues, suspendeu liminar concedida pelo juiz Ronaldo Claret de Moraes que impedia a polícia de interferir ou limitar manifestações de rua em Belo Horizonte, nesta quinta-feira (26).

Futura Press
Homens da Tropa de Choque da PM durante manifestação realizada em BH, na semana passada

Para o desembargador, a atuação ostensiva da Polícia Militar é “conduta moral e legalmente exigível”. Ele permitiu a revista pessoal e em mochilas de todas as pessoas que estiverem nos locais do protesto.

A suspensão da liminar foi pedida pela Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL) e outras 15 entidades. Por meio de nota, a CDL comemorou a suspensão. “A decisão que engessava a atuação da Polícia Militar gerou o receio no comércio sobre a possibilidade de novos atos de vandalismo nos próximos jogos do Mundial”, diz a nota.

Leia também:
Protestos anti-Copa têm detidos em SP, viatura tombada em BH e PMs feridos no RJ
Morre estudante que caiu de viaduto durante protesto em Belo Horizonte
Em BH, estudantes que se destacam nos protestos já são alvo de assédio

“As manifestações continuam sendo legítimas e dignas de aplauso e solidariedade, mas as depredações e atos de vandalismo não podem ser aceitos. Por isso, é fundamental que a Polícia Militar continue a exercer seu papel de forma eficaz, garantindo a segurança da população, do patrimônio público e privado e também o direito legítimo dos manifestantes de protestar, mas sem depredar”, disse Bruno Falci, presidente da câmara.

Em entrevista, Cynthia Camargo, integrante do Comitê dos Atingidos pela Copa, lamentou a suspensão da liminar. Ela disse que, no próximo sábado (28), dia em que a Seleção Brasileira enfrentará o Chile pelas oitavas de final da Copa do Mundo em Belo Horizonte, o comitê e outras entidades promoverão um protesto pelas ruas da capital mineira.

“Com a liminar que ganharam, eles [os policiais] vão cercar a gente de novo. Mas queremos ter o direito de andar”, disse. Cynthia Camargo calcula que cada manifestação é acompanhada por um grande número de policiais, que chegam a somar “seis para cada manifestante”.

Para sábado, a ideia dos manifestantes é promover um ato com intervenções lúdicas em vários pontos da cidade. “Não somos contra a Copa. Copa é algo lúdico e todo brasileiro gosta. Somos contra a forma como ela foi feita, desalojando pessoas de suas casas e tirando o emprego de muita gente”, disse Cynthia.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas