Estado de SP teve dez ocorrências no segundo turno, diz TRE-SP

Presidente do tribunal eleitoral paulista defende mudança na legislação eleitoral

Daniela Almeida, iG São Paulo |

O presidente do Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP), desembargador Walter de Almeida Guilherme, informou em entrevista coletiva à imprensa que houve um total de dez ocorrências no Estado no segundo turno, sendo quatro por boca de urna, cinco por divulgação de propaganda e uma prisão. Segundo o presidente, a prisão ocorreu porque um mesário, que teria chegado atrasado à sessão, provocou desordem ao ser informado de que seria substituído.

De acordo com Guilherme, o segundo turno ocorreu segundo as expectativas do tribunal. Foram substituídas 230 urnas eletrônicas por novas urnas eletrônicas, de um total de 81.806 urnas. Apenas uma urna teve de ser substituída por urna manual, na cidade de Bananal. No primeiro turno, houve 265 substituições de urnas.

Por causa do horário de Verão, o TRE-SP começará a divulgar os resultados no Estado a partir das 19 horas. A expectativa, considerada conservadora pelo presidente, é de que até este horário já estejam apurados entre 50% e 60% dos votos.

Legislação eleitoral

O desembargador comentou também a necessidade de se rever a legislação eleitoral para que se assegure que uma pessoa eleita possa exercer o seu mandato até o fim. Ele deu como exemplo o primeiro turno, em que vários candidatos que estavam impugnados concorreram por meio de recurso.

Outra crítica feita pelo presidente foi a impossibilidade de se efetuar prisões no período de cinco dias antes das eleições e 48 horas depois. “Não se justifica mais, parece absolutamente anacrônico esse dispositivo de lei”, afirmou.

Questionado sobre a expectativa de maior número de abstenções no segundo turno, o desembargador afirmou que esta é uma situação de praxe. Mas, segundo ele, ainda não é possível informar o número de eleitores que não votaram nessa etapa das eleições.

O presidente comentou também a questão das urnas biométricas, que começaram a ser implantadas este ano em todo o País. Para ele, as urnas tornam as eleições mais seguras, mas não impedem eventuais problemas. “100% de certeza nunca existe, mesmo com a votação biométrica”, afirmou.

    Leia tudo sobre: pleito 2010tre-sp

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG