ES: Mais de duas mil denúncias contra crimes eleitorais

Segundo TRE, candidata a deputada federal, Sueli Vidigal (PDT) é a campeã, com 155 denúncias

Manuela Andreoni, iG Rio de Janeiro |

O Tribunal Regional Eleitoral do Espírito Santo (TRE-ES) recebeu até agora 2.171 denúncias contra crimes eleitorais. A campeã de irregularidades é a deputada federal Sueli Vidigal (PDT), que tenta a reeleição. Serra é a cidade com o maior número de denúncias, 205 contra as 197 registradas na capital Vitória.

Sueli Vidigal tem uma das campanhas eleitorais mais ricas do Espírito Santo. De acordo com os dados divulgados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a deputada já gastou R$ 517 mil e arrecadou R$ 375 mil, um gasto extra de R$ 142 mil a mais.

Por meio de sua assessoria de imprensa, a deputada alega que muitas das acusações partem da oposição ou resultam de desinformação dos cabos eleitorais da campanha, que colocam propaganda em locais irregulares.

De acordo com o TRE, a campanha de 198 políticos foram denunciadas. Depois de Sueli, o candidato à Câmara Federal Ledir Porto (PR), registra 79 queixas, seguido do senador Magno Malta (PR), com 70; a deputada estadual Aparecida Denadai (PR), 43. A campanha do candidato ao governo do Estado pelo PSB, Renato Casagrande, recebeu 34 denúncias.

De acordo com o Tribunal, as denúncias já estão sendo encaminhadas ao Ministério Público do Eleitoral.
Segundo os dados disponibilizados pelo TRE, os crimes mais denunciados foram propaganda irregular, compra de votos e uso da máquina pública.

Foram recebidas 317 denúncias sobre compra de votos e, só na última semana, foram retirados de todos os municípios da Grande Vitória 15 caminhões com propaganda fora da determinação eleitoral.

Mobilização por ‘voto ético’

Eleitores capixabas participaram nesta sexta-feira (24) junto a juízes, desembargadores e promotores da Vigília Cívica pelo Voto Ético nas eleições 2010, organizada pelo Tribunal Regional Eleitoral do Espírito Santo (TRE-ES), em frente ao prédio do Tribunal, na Enseada do Suá, em Vitória. O ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Ricardo Lewandowski, também participou do ato.

O jurista foi um dos cinco magistrados do Superior Tribunal Federal (STF) que votou contra o candidato ao governo do Distrito Federal, Joaquim Roriz, e pela aplicação imediata da Leia da Ficha Limpa. De acordo com o TRE, a mobilização de magistrados é um fato inédito no Brasil.

A fim de acelerar os processos de denúncias de crimes eleitorais e a aplicação da Lei da Ficha Limpa, o Tribunal criou o Gabinete de Gestão Integrada (GGI). O órgão é formado pelas Polícias Civil, Militar e Federal, além de juízes e promotores dos Ministério Públicos Estadual e Federal e do Tribunal de Justiça do Estado (TJ-ES). Como complemento, foi lançado o programa “Fiscalização Cidadã”, que leva magistrados às ruas para recolher propaganda irregular de candidatos.

    Leia tudo sobre: eleições escrime eleitoralvoto ético

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG