Empresa nega conhecer suspeita de lobby no governo

Em nota oficial, a Via Net Express afirmou desconhecer empresa de filho de Erenice Guerra

Agência Estado |

selo

A Via Net Express negou ter contratos de prestação de serviços com os Correios ou utilizar as aeronaves da estatal para realização de serviços de transporte aéreo. Em nota oficial, a empresa afirma ainda desconhecer a Capital Assessoria, empresa que tem como sócio Israel Guerra, filho da ministra da Casa Civil, Erenice Guerra, suspeitos de esquema de lobby no governo federal.

Reportagem da revista Veja de domingo exibiu suposto contrato firmado entre a Via Net Express e a Capital. Apontou ainda que as negociações entre as duas empresas foi intermediada pelo empresário Fabio Baracat. "A Via Net não conhece o contrato apresentado na reportagem, não assinou esse contrato, não conhece a Capital Assessoria, não conhece seus sócios, nunca manteve qualquer tipo de relação comercial com a mesma", afirma a nota, assinada pelo advogado Marcos Paulo Baronti de Souza.

Sobre Baracat, o texto diz: "o Sr. Fabio Baracat nunca foi sócio, procurador ou gestor (da Via Net Express) e tampouco pertenceu algum dia ao quadro de funcionários da empresa, fatos esses que podem facilmente ser comprovados".

A nota informa que a Via Net Express utiliza "ofertas das companhias disponíveis no mercado" para o transporte de mercadorias de seus clientes. "A Via Net, diante de todos esses fatos e principalmente das publicações envolvendo o seu nome, buscará os esclarecimentos necessários para, em seguida, tomar as medidas judiciais cabíveis". Procurado, Baracat não retornou as ligações. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: eleições dilmapleito 2010erenice guerra

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG