Em visita fora da agenda a PE, Dilma ataca Serra

Petista retomou críticas ao rival e aproveitou para exaltar obras do governo na região

Ana Carolina Dias, iG Pernambuco |

Divulgação
A candidata petista em entrevista coletiva no Recife (PE)
A candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff , fez um desvio de sua agenda oficial de campanha e visitou Pernambuco nesta segunda-feira. Sem economizar nas críticas ao PSDB, ela aproveitou o cenário de obras do governo federal e da iniciativa privada no Parque Industrial de Suape para gravar seu programa eleitoral. A petista pretende usar a construção da Refinaria e do Estaleiro Atlântico Sul como bandeira na eleição deste ano.

Durante a visita, que pegou de surpresa a imprensa, Dilma lançou novas críticas contra o rival José Serra , alegando que o tucano não tem patrimônio para mostrar. “Eles quebraram o país, e foram de joelhos ao Funco Monetário Internacional”, disse, numa referência ao governo liderado pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

Dilma acusou Serra de baixar o nível da discussão, fazendo acusações infundadas. Numa referência ao fato de o vice Indio da Costa (DEM-RJ) ter acusado o PT de ter ligações com as Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) e com o narcotráfico, ela afirmou que “eles fizeram a mesma coisa na campanha de 2002, aterrorizando o país, dizendo que o governo Lula seria o caos”.

Pernambuco é um dos Estados onde o Governo Lula tem um dos mais altos níveis de aprovação. Em pesquisa realizada este mês pelo Instituto Maurício de Nassau, o Governo Lula apresentava 52% de ótimo, 37% de bom e 8% de regular. Apenas 1% considerou o Governo ruim, e 1% péssimo.

Com um discurso otimista, Dilma também exaltou obras do governo no Nordeste, em especial as Unidades de Pronto Atendimento de Saúde (UPA´s) e projetos de infraestrutura como a Ferrovia Transnordestina e a transposição do Rio São Francisco.

Na visita, Dilma também aproveitou para falar sobre a relação com o deputado Ciro Gomes (PSB-CE), que se afastou da eleição nacional após  o PSB enterrar sua candidatura ao Planalto para selar a aliança com o PT. Dilma afirmou que respeitará a posição que o deputado assumir, até porque ele é seu amigo. “Eu convivi com Ciro em época de dificuldades. Ele foi leal e ético. Eu o admiro”, disse Dilma.

    Leia tudo sobre: dilmapernambuco

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG