Em São Paulo, tom propositivo dominou programas de TV

Ao contrário de presidenciáveis, candidatos ao governo do Estado não investiram em tom emocional em programa eleitoral na TV

Ana Paula Prado, iG São Paulo |

Ao contrário do que ocorreu nos programas de televisão dos presidenciáveis José Serra (PSDB) e Dilma Rousseff (PT), que tiveram forte apelo emocional, os candidatos favoritos ao governo do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB) e Aloizio Mercandante (PT), estrearam no horário eleitoral gratuito no rádio e na televisão com um discurso prioritariamente propositivo.

Geraldo Alckmin abordou projetos que realizou para o Estado como governador, a exemplo do Bom Prato, Dose Certa e Rodoanel. Já Mercadante concentrou-se em promessas, como aumentar em 100 quilômetros o metrô de São Paulo, reduzir a carga dos pedágios e acabar com a progressão automática nas escolas de ensino médio. O candidato do PT contou ainda com depoimento do Presidente Lula e utilizou o tempo reservado para os candidatos a deputado estadual do seu partido para esticar sua presença no horário político.

Fábio Feldmann, do Partido Verde, concentrou-se no tom ambiental em sua apresentação, assim como fez Marina Silva, candidata do partido à presidência. Já Celso Russomano (PP) e Paulo Skaff (PSB) apresentaram-se ao público de maneira formal, contando suas trajetórias de vida e profissionais.

Na sequência do tempo destinado aos candidatos ao governo, foi a vez dos candidatos a deputado estadual dos partidos se apresentarem. Logo em seguida, entraram os candidatos a senador. Marta Suplicy, candidata do PT a uma das duas vagas na Casa, apelou para os diferenciais femininos na condução de projetos; Aloysio Nunes (PSDB) contou sua trajetória política; Orestes Quércia (PMDB) investiu em propostas para o interior; e Romeu Tuma (PTB) destacou propostas para a segurança do Estado.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG