Em São Paulo, FHC critica Lula e Dilma

Ex-presidente aposta na ida do PSDB ao segundo turno e diz que país precisa de "políticos reais, e não fantoches"

Luisa Pécora, iG São Paulo |

AE
Fernando Henrique cumprimenta mesária na seção
O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso disse estar confiante de que o PSDB terá um bom desempenho na eleição deste domingo. “Vamos para o segundo turno provavelmente (se referindo ao candidato à presidência José Serra ) e, nos Estados, o PSDB está dando um banho”, afirmou.

Fernando Henrique votou por volta de 10h30 no Colégio Nossa Senhora de Sion, no bairro de Higienópolis, Zona Oeste de São Paulo, acompanhado do Secretário Municipal de Cultura, Andrea Matarazzo. Aos jornalistas, ele fez críticas ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva e à candidata do PT à presidência, Dilma Rousseff .

Ao mesmo tempo em que minimizou a capacidade de Lula de transferir votos para Dilma, ele também criticou a falta de “vontade política própria” da candidata. “Se tivesse ocorrido transferência de voto, ela teria 80% (das intenções). Houve alguma transferência, mas o que está se demonstrando é que, a despeito da aprovação do presidente Lula, a candidata não conseguiu a mesma coisa”, afirmou. “O importante é ter vontade política própria, capacidade de liderança. Temos que ter políticos reais e não fantoches”.

FHC criticou o que chamou de "rolo compressor do governo". "Como Lula gosta de dizer, nunca antes nesse país um presidente fez tanta pressão numa eleição", opinou. "O presidente é presidente do país. Ele pode e deve expressar seu partido, mas não pode se transformar num instrumento de pressão contra o outro, que é seu adversário".

Questionado por jornalistas sobre a possibilidade de estabelecer algum tipo de parceria com Lula após o fim do mandato, FHC disse que vai depender da "grandeza" do presidente. "Lula nunca me convidou para tomar um café", afirmou. "Nem um cafezinho, que é normal entre os brasileiros."

FHC informou que não acompanharia os candidatos do partido em suas zonas eleitorais porque "está velho demais para isso". "Não sou nem mais obrigado a votar", brincou o ex-presidente. "Vou fazer 80 anos, preciso descansar um pouco". Ele disse ter falado com José Serra no sábado e deixou em aberto a possibilidade de encontrá-lo neste domingo. "Talvez. O Serra está mais ocupado que eu", explicou.

Aos jornalistas, FHC negou que tenha faltado apoio do PSDB a Serra e disse que, apesar de longe do poder, o partido "está de pé". "Mas precisamos sempre nos atualizar, porque o mundo muda. O partido tem que estar sempre em movimento", afirmou.

Críticos e apoiadores

No momento em que Fernando Henrique chegou para votar, houve bate-boca entre dois eleitores em frente ao colégio eleitoral. Um homem vestindo uma camiseta do PT gritou ao ex-presidente: "Fala para o Serra colocar um pijama na segunda-feira, porque essa já era". FHC ignorou o recado, mas um outro eleitor cobrou "respeito ao ex-chefe da Nação", dando início a uma discussão.

O ex-presidente também recebeu manifestações de apoio de eleitores presentes no colégio eleitoral e tirou fotos com populares durante o trajeto até sua casa, na rua Rio de Janeiro, que fez a pé.

    Leia tudo sobre: eleições speleições serrapleito 2010fhc

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG