Em São Luís, Serra intensifica críticas a Lula e ao PT

Na capital maranhense, onde o PT venceu última eleição com 65% dos votos, o candidato tucano subiu o tom contra o presidente Lula

Wilson Lima, iG Maranhão |

Em mais uma etapa da sua campanha pelo Nordeste, o candidato à Presidência pelo PSDB, José Serra, intensificou as críticas ao PT e ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em sua passagem por São Luís, no Maranhão. Serra disse que o projeto do "trem-bala" não está claro, que a criação da "Segurobras" é incentivo à corrupção e que não abraçará antigos inimigos políticos, fazendo referência à ligação de Lula com o presidente do senado, José Sarney (PMDB).

Sobre o "trem-bala", Serra afirmou que "é um projeto que não está claro”. Na visão do tucano, falta definir aspectos fundamentais da proposta, como a participação da iniciativa privada. Além disso, ele também acredita que "por muito menos", o Brasil poderia resolver gargalos logísticos brasileiros, como a falta de ligação da produção de soja na cidade de Balsas (MA), distante quase 900 km de São Luís, com o Porto do Itaqui, por exemplo.

O edital de licitação do trem-bala que ligará São Paulo a Campinas e ao Rio de Janeiro foi lançado nesta terça-feira. Pelo edital, o leilão para escolher as empresas que irão comandar a obra será realizado dia 16 de dezembro. Nesse primeiro momento, o governo confirmou a participação do BNDES no financiamento de 60% do projeto. "Essa obra pode custar R$ 35 bilhões ou R$ 50 bilhões, ainda não está certo. Tudo precisa ficar definido para um projeto como esse", assinalou Serra.

Outra crítica de Serra foi com relação ao projeto da criação da Empresa Brasileira de Seguros S.A (EBS), que está sendo chamada de “Segurobras”. O governo pretendia criá-la por meio de Medida Provisória (MP) do presidente Lula, mas o governo recuou e deve implementá-la a partir de projeto de lei. Segundo o candidato tucano, essa empresa seria uma forma de incentivar a corrupção. "Eu não achava necessário criar mais uma empresa de seguros. Empresa de seguro é uma área potencialmente de muita corrupção. É muito difícil em uma empresa de seguros estatal você segurar a corrupção", criticou.

Meia agenda

A visita de Serra em São Luís começou por volta das 15h30. A agenda do tucano na capital maranhense previa um espetáculo folclórico, uma entrevista coletiva no aeroporto, uma caminhada nas ruas de São Luís e uma homenagem na Associação Comercial do Maranhão (ACM). Apenas a homenagem foi realizada. A caminhada foi alterada para um microcomício e uma carreata pelas ruas da capital maranhense, no início da noite.

Do aeroporto, Serra foi direto para a solenidade na associação comercial. Professores da rede pública municipal de São Luís, em greve há 50 dias, protestaram no saguão do aeroporto contra o prefeito da capital, João Castelo (PSDB). Por isso, a direção local do partido mudou a programação no aeroporto, para evitar um confronto do candidato à Presidência com os manifestantes.

Durante o discurso na associação comercial maranhense, Serra afirmou que sempre esteve ao lado do Nordeste apoiando, quando deputado federal, projetos de fomento da economia local e de redução de impostos. "Não há político que tenha feito mais pela região Nordeste, individualmente, do que eu", declarou. Por fim, ele alfinetou o PT. "Quando você é um político, você está sempre em um fio da navalha: de um lado, a traição de princípios. Do outro lado, a inoperância. Eu estive sempre nesse fio da navalha", pontuou Serra.

O Maranhão é um dos Estados onde o PSDB tenta galgar um maior percentual de votos em relação ao PT. Na eleição passada, o candidato tucano Geraldo Alckimin teve 18% dos votos em São Luís, enquanto Lula obteve 65%.

    Leia tudo sobre: eleiçõesjosé serratrem balaestatallula

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG