Em Minas, Serra liga loteamento do Dnit a mortes nas estradas

Segundo tucano, governo federal investiu só um terço de contribuição destinada a manutenção de rodovias: 'Isso siginifica morte'

Nara Alves, enviada a Minas Gerais |

Em visita a Ituiutaba, no Triângulo Mineiro, o candidato do PSDB à Presidência da República, José Serra, afirmou hoje que o governo federal loteou o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT). Ele relacionou o loteamento de cargos à dificuldade em se estabelecer prioridades de investimento. Segundo ele, o governo investiu apenas um terço do dinheiro destinado à melhoria das estradas. "Isso significa mortes", disse.

Serra afirmou que oito em cada dez estradas federais estão em má situação e lembrou que R$ 65 bilhões foram arrecadados a partir da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide). "O governo não investiu nem um terço disso nem deu para os Estados", afirmou o presidenciável.

O candidato também comparou as estradas federais com as paulistas e afirmou que em São Paulo "teríamos 11 mil mortes a mais" se não fossem as melhorias nas rodovias que hoje funcionam como concessões públicas. "É uma situação que vamos mudar em cooperação com o governo do Estado para que o governo assuma a estrada tendo a contrapartida do governo federal", prometeu.

Na avaliação do presidenciável tucano, o principal Estado prejudicado pela falta de investimento é Minas Gerais, por causa do tamanho e da localização geográfica. Minas tem 25% das estradas federais. Em março, a atual candidata Dilma Rousseff, ainda como ministra chefe da Casa Civil, visitou a região para acompanhar as obras de duplicação da BR-365, entre Monte Alegre e Uberlândia. O trecho, de 90 quilômetros, liga Brasília a Santos e faz parte da primeira fase do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). As obras, orçadas em R$ 262 milhões, estão previstas para serem concluídas em 2012.

    Leia tudo sobre: eleiçõesserrarodovias

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG