Em Minas, Serra cola em Aécio e Dilma exalta Lula

No último dia da campanha presidencial, presidenciáveis associam imagem a seus principais cabos eleitorais

Adriano Ceolin e Ricardo Galhardo, enviados a Minas |

Leo Drumond/Nitro
Serra em carreata em BH
Os presidenciáveis José Serra (PSDB) e Dilma Rousseff (PT) escolheram a capital mineira Belo Horizonte para encerrar a temporada de campanha pelo Palácio do Planalto no dia 6 de julho.

Serra buscou a companhia do ex-governador de Minas Aécio Neves , eleito senador  para uma carreata que teve início por volta das 11 horas. Dilma, que não teve a companhia de seu principal cabo eleitoral, reforçou que terá no presidente Luiz Inácio Lula da Silva um consultor em um eventual governo.

Tanto Serra como Dilma escolheram o centro de Belo Horizonte para as carreatas, o que alimentou até o início da manhã as expectativas de que as duas campanhas poderiam se cruzar no meio do trajeto.

A carreata de Serra começou por volta das 11 horas e teve também a participação do governador reeleito por Minas Gerais, Antonio Anastasia, e do ex-presidente e senador eleito, Itamar Franco (PPS).

Os carros partiram da Praça do Papa, uma das regiões mais nobres da capital mineira. Os moradores prestigiam o evento, saindo de suas casas para saudar o candidato.

O forte calor, no entanto, fez com que Serra mudasse os planos de se dirigir em carro aberto ao Palácio das Mangabeiras, residência oficial do governo mineiro. O tucano teve um pequeno mal estar e preferiu fazer o trajeto em carro fechado. antes de deixar a capital mineira, Serra ainda deve dar entrevista aos jornalistas.

Já a carreata de Dilma saiu do bairro Venda Nova, na periferia de Belo Horizonte. Ali, moram cerca de 500 mil pessoas e a região é considerada um bastião petista.

Logo antes de iniciar o trajeto, Dilma aproveitou para afirmar que, caso seja eleita, o presidente Lula não vai participar formalmente de seu governo. Ainda assim, ela reforçou que, sempre que for possível, vai consultá-lo. "Ele será sempre uma pessoa de quem tenho plena confiança política e pessoal”.

Agência Estado
Dilma participa de carreata em BH
Além disso, a petista reforçou o discurso em favor da "tolerância". “Se eu for eleita, logo após a eleição quero unir o Brasil em torno de um projeto de desenvolvimento não só material, mas também de valores. Porque acredito que nosso País pode se transformar, cada vez mais, num lugar de convivência

Ao longo da campanha presidencial deste ano, Dilma ressaltou sua origem mineira em um esforço para se aproximar do eleitorado do segundo maior colégio eleitoral do País. Ela, no entanto, construiu sua vida pública em Porto Alegre, local onde tem domicílio eleitoral.

Depois da carreata, Serra comentou a declaração de Dilma de que Lula não vai participar de seu ministério, caso seja eleita, mas que irá consultá-lo. De acordo com Serra, “a gente sabe que quem é eleito é quem governa. Não existe governo terceirizado em nenhuma parte do mundo”, afirmou.

No primeiro turno, Serra e Dilma foram superados por Marina Silva (PV) em Belo Horizonte. Ontem, cartazes dos dois presidenciáveis estavam espalhados pela cidade, anunciando os atos previstos para este sábado.

    Leia tudo sobre: eleições dilmaeleições serrapleito 2010

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG