Em Minas, Anastasia vira alvo dos adversários no último debate

Líder nas pesquisas de intenção de votos, tucano recebeu diversas críticas no encontro entre os candidatos ao governo

Eduardo Ferrari, iG Minas Gerais |

Divulgação
Costa e Anastasia: debate tenso
O candidato à reeleição Antônio Anastasia (PSDB), líder nas pesquisas de intenção de votos, foi o alvo preferencial do último debate entre os candidatos ao governo de Minas, realizado nesta terça-feira (28), na sede da TV Globo Minas, em Belo Horizonte.

Os candidatos Hélio Costa (PMDB), José Fernando (PV) e Luiz Carlos (PSOL) se alternaram nas críticas ao tucano. Logo na primeira pergunta, José Fernando questionou por que o governo do estado não se empenhou nos últimos oito anos para resolver os problemas das rodovias federais, das obras do rodoanel e da expansão do metrô em Belo Horizonte.

Anastasia repetiu o discurso de que seu governo melhorou as estradas estaduais e que já fez propostas ao Governo Federal para assumir os processos de licitação de obras federais, mas ainda não obteve respostas. “As estradas federais são de responsabilidade da União. Nos oferecemos para o estado fazer as licitações porque mostramos competência. Lamentavelmente, o Governo Federal não conseguiu apresentar uma proposta adequada. O metrô é uma empresa federal, já apresentamos uma proposta para assumir sua realização, mas ainda não tivemos retorno”, disse.

Em sua primeira pergunta, Anastasia tentou questionar Hélio Costa sobre meio ambiente e aproveitou para falar sobre o projeto de transposição do rio São Francisco: “Minas é a caixa d’água do Brasil Este é um projeto que não interessa a nós mineiros”, disse. Costa respondeu que o “candidato tucano” não estava bem informado sobre o projeto. “Anastasia deu em um debate anterior várias informações erradas sobre a questão da transposição das águas do rio São Francisco. Não existe nenhum contrato prevendo que há o uso de 60% da água e nem a implantação de pequenas barragens para complementar a barragem de Sobradinho. O candidato Anastasia refaz suas afirmações conforme lhe é conveniente”, declarou Costa.

Costa criticou investimentos em saúde

Depois, foi a vez de Hélio Costa, que, mesmo dirigindo a pergunta ao candidato Luiz Carlos, afirmou que o governo de Minas “insiste em dizer que paga um dos melhores salários de educação do país”, mas não é verdade. “No último debate, eu fiz um desafio para que as pessoas perguntassem a qualquer profissional do setor e eu recebi uma série de retornos negativos contra o governo do estado”, afirmou.

No bloco seguinte, novamente Costa teve a oportunidade de perguntar a Anastasia sobre os investimentos do estado na área de saúde. “O senhor teve todas as oportunidades para fazer um grande programa na saúde, mas usou R$ 2 bilhões no Centro Administrativo e com publicidade”, questionou. O tucano, visivelmente irritado, respondeu que o governo de Minas não fez tudo, mas “aumentou em 700% os investimentos na área”, independentemente de verbas federais ou do apoio do governo Lula e de seus ministros. “É interessante observar que determinados candidatos que ocuparam cargos de prestígio nunca fizeram nada. Nós queremos o social verdadeiro. É desconhecimento e má fé em tentar iludir os mineiros”, disse.

Na vez de Antonio Anastasia, ele poderia dirigir sua pergunta a Hélio Costa, mas evitou o confronto direto com peemedebista. Em sua pergunta, entretanto, dirigida ao candidato José Fernando, questionou o que o representante do Partido Verde achava sobre declarações de “outros” candidatos – numa referência direta a Costa – de que se o governo de Minas não tiver o apoio do Governo Federal, o estado de Minas poderá sofrer retaliações. “Qual o impacto possível de uma eventual eleição de Marina Silva à presidência e possíveis reflexos para Minas”, questionou.


Foi a oportunidade para José Fernando fazer “propaganda” da candidata à Presidência Marina Silva (PV). “Nosso partido é a única novidade nessas eleições. Marina Silva é a verdadeira Lula de saias. Ela tem opinião própria e nós nos orgulhamos de ser os representantes de seu projeto em Minas. A disputa federal para presidente não está decidida”, declarou.

Em sua réplica, Anastasia afirmou que Minas não aceita “subordinação”, em mais uma referência ao candidato Hélio Costa. “O governador de Minas tem como prioridade defender os mineiros. É interessante que nas eleições alguns candidatos dizem que tem prestígio junto ao Governo Federal, mas eu pergunto que prestígio é esse que eles tem que nada fizeram por Minas enquanto estava nesse governo”, disse.

Hélio Costa respondeu que ficava surpreso com a tentativa do governo estadual de afastar Minas Gerais. do Governo Federal. “O candidato (Anastasia) fala que Minas não aceita ser orientada pelo Governo Federal como se isso fosse sempre ruim. Eu digo que meu candidato a vice é o ex-ministro do Desenvolvimento Social e Combate a Fome, Patrus Ananias, e nós colocamos mais de R$ 3 bilhões em Minas. E nós queremos fazer aqui o que foi feito em todo Brasil. Ser mineiro é isso, é pensar nas outras pessoas. O Governo Lula tirou 25 milhões de brasileiros da miséria absoluta”, afirmou.

Debate ficou tenso com o assunto Correios

Na sua vez, o candidato do PSOL Luiz Carlos também afirmou que o governo de Anastasia fazia muito “marketing” das poucas ações que implantava na área social, principalmente em segurança. “Quando que o governo do estado vai parar de fazer propaganda e seus programas tão anunciados vão chegar na minha comunidade? Pergunte para qualquer pessoa em qualquer cidade do estado se ela tem sensação de segurança e verá que a resposta é não”, questionou. Anastasia afirmou que eram muitos o programas e que gostaria que o candidato, assim que as eleições passassem, visitasse os diversos projetos de segurança com ele. “Visitar os projetos com o candidato Anastasia eu aceito, até porque com ele eu vou me sentir muito seguro, pois a estrutura de segurança serve para proteger o governo e não o cidadão comum”, replicou Luiz Carlos.

No momento mais tenso do debate, Anastasia perguntou a Hélio Costa o que ele achava da gestão do estado de Minas se comparada à gestão dos Correios. O ex-ministro de Telecomunicações afirmou que Anastasia gostava de falar mal dos Correios, mas não via a corrupção de sua própria administração. “Ele gosta falar mal dos Correios, mas a empresa tem uma estrutura que não permite que corrupção fique omissa, no Correio a gente pune. Já no Instituto de Florestas de Minas, toda a diretoria saiu algemada”, disse.

O comentário gerou o único direito de resposta do debate para Anastasia. “Quero deixar bem claro que em Minas, eu e o ex-governador Aécio Neves não toleramos qualquer tipo de corrupção. Assim que as denúncias foram feitas quanto à administração do Instituto Estadual de Florestas, nós afastamos e demitidos toda a diretoria do órgão”. Anastasia também aproveitou para mais uma vez acusar Costa de desinformado sobre Minas Gerais. “O candidato (Costa) não respondeu a questão do Correios. Eu vou fazer a réplica estarrecido com a desinformação e o descompromisso total com a verdade”, respondeu.

    Leia tudo sobre: Eleições MG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG