Em MG, Dilma diz que só ela pode 'honrar a memória' de Lula

Candidata participou de comício com 10 mil pessoas em Belo Horizonte

Ricardo Galhardo, enviado a Minas |

A candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff , disse na noite desta terça-feira, em Belo Horizonte, que a única forma de “honrar a memória” do governo Luiz Inácio Lula da Silva é a sua vitória na eleição de 3 de outubro.

Durante o comício que reuniu mais de 10 mil pessoas na Praça da Estação, na região central da capital mineira, Dilma viu uma faixa que dizia “Lula já estou com saudade”. Citando o governo sempre no pretérito, embora ainda faltem mais de quatro meses para o fim do mandato, Dilma disse: “Todos nós temos de fato que ter saudade. Quando ele estiver descendo aquela rampa estaremos com o coração apertado. A única coisa que pode nos consolar é que ele confiou a mim a missão de cuidar daquilo que ele mais gosta que é o povo brasileiro”.

Os militantes que lotaram a Praça da Estação responderam em coro: “Luiz Inácio muito obrigado”. Depois de evitar o nome do presidente no debate da TV Bandeirantes, quinta-feira, Dilma voltou a colar sua imagem à de Lula e prometeu “ honrar a memória” do atual governo.

Nascida e criada em Belo Horizonte mas com carreira política construída no Rio Grande do Sul, Dilma evocou sua mineiridade para agradar o eleitorado do segundo maior colégio eleitoral do país. “Quando eu chegar ao Palácio do Planalto vocês podem se orgulhar que mais um mineiro chegou lá”, disse ela.

Uma das estratégias dos aliados de Dilma em Minas Gerais é culpar o tucano José Serra por ter tirado o mineiro Aécio Neves da disputa presidencial. Depois de dizer que nasceu, foi criada e despertou para a política em Belo Horizonte, Dilma citou todos os mineiros de sua chapa até chegar no candidato a vice, Michel Temer. “Temos ainda o Temer, que não é mineiro mas é um bom paulista”, disse ela.

    Leia tudo sobre: eleições Dilmaeleições MGLulacomícioMinas Gerais

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG