Em Madri, Dilma e Zapatero debatem relação bilateral e crise

A candidata do PT à Presidência e o presidente do governo espanhol debateram hoje as excelentes relações entre os dois países

EFE |

A candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, e o presidente do Governo espanhol, José Luis Rodríguez Zapatero, debateram hoje em Madri as "excelentes" relações entre Brasil e Espanha e a situação econômica mundial. Fontes do governo espanhol disseram à Agência Efe que a reunião entre Dilma e Zapatero, no Palácio de La Moncloa, durou uma hora e meia, dentro de uma viagem da candidata petista pela Europa.

EFE
Dilma e Zapatero encontram-se no Palacio de la Moncloa, em Madri
Dilma já passou por Paris, Bruxelas e irá amanhã a Lisboa, com a intenção de apresentar-se aos líderes europeus como candidata e analisar as relações do Brasil com os países e a União Europeia (UE). As mesmas fontes informaram que a reunião entre Dilma e Zapatero girou em torno da situação econômica internacional, com particular atenção para Brasil e Espanha, mas também para a América Latina e a UE.

Os dois concordaram que a crise "atingiu com mais força" a Europa que a América Latina e trocaram as experiências de seus países e regiões para combater a situação e enfrentar os desafios do futuro, segundo as mesmas fontes. Além disso, o presidente do governo espanhol explicou à candidata petista as últimas medidas aprovadas para fazer frente à crise, mais especificamente as iniciativas com o objetivo de reduzir o déficit da Espanha, além da reforma do mercado de trabalho.

Zapatero e Dilma também conversaram sobre as relações bilaterais entre seus países e constataram que, do ponto de vista político, passam por um "momento excelente", segundo as fontes citadas. No âmbito comercial e econômico, coincidiram em seus interesses mútuos e na segurança de que continuarão se desenvolvendo no futuro. Os dois avaliaram também a última Cúpula UE - América Latina, realizada no dia 18 de maio em Madri, além da abertura de negociações com o Mercosul, bloqueadas desde 2004.

Zapatero e Dilma mostraram sua esperança e confiança em que, "com o passar do tempo, as negociações se desenvolvam e seja possível alcançar importantes acordos neste terreno", informaram as fontes do governo espanhol. Estes acordos, segundo eles, serão um "ponto de inflexão importante" nas relações comerciais e econômicas entre Europa e América Latina.

    Leia tudo sobre: zapaterodilmasarkozylula

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG