Em Joinville, Lula fala em 'extirpar' o DEM

Presidente tenta melhorar o desempenho da candidata petista ao governo catarinense, que aparece em terceiro lugar nas pesquisas

Andreia Sadi, enviada a Santa Catarina |

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva adotou um discurso duro nesta segunda-feira ao participar de comício em Joinville, Santa Catarina, ao lado da candidata Dilma Rousseff . Ao relembrar o escândalo do mensalão, Lula, que encerrou os discursos do ato político pela candidatura presidencial, acusou a mesma direita “raivosa e com ódio” que , segundo o presidente, prejudicou ex-presidentes Como Getúlio Vargas e João Goulart, de tentar derrubá-lo em 2005.

Agência Estado
O presidente Luiz Inácio Lula da Silva discursa durante comício da candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff
O discurso do presidente mirava claramente as lideranças conservadoras locais, em especial o DEM, o ex-presidente nacional do Partido Jorge Bornhausen e seu filho, o deputado Paulo Bornhausen. "Nós sabemos que os Bornhausen não podem vir disfarçado de cordeiros, já sabemos quem são eles (..) Eu fico preocupado porque quando eu nem conhecia Joinville eu vim aqui para apoiar Luiz Henrique. (..) Quando Luiz Henrique foi eleito para o governo de Santa Catarina, eu pensava que era para mudar, mas ele trouxe de volta o DEM, que nós precisamos extirpar da política brasileira", disse o presidente.

Nos mais de 20 minutos em que discursou no ato político para promover Dilma, o presidente Lula praticamente ignorou a candidata e se concentrou em pedir votos para Ideli Salvatti, candidata ao governo de Santa Catarina pelo PT. Foi só no final de sua fala que o presidente voltou a declarar que Dilma é a candidata mais preparada para dar continuidade ao seu governo e pediu para a militância não “guardar as bandeiras” para “consagrar” Dilma presidente no dia 3 de outubro.

Lula relembrou a atuação de Ideli no Senado como líder do governo e a classificou como “senadora extraordinária”. “Poucas vezes tivemos uma senadora da qualificação moral e ética”, elogiou. O esforço do presidente busca reverter o quadro de desvantagem que a petista encontra na eleição estadual. Em quase todas as pesquisas de intenção de voto, Ideli aparece em terceiro lugar, atrás de Ângela Amin (PP) e Raimundo Colombo (DEM) , com poucas chances de chegar ao segundo turno.

Ao se comparar com o ex-presidentes, Lula disse que foi salvo porque tinha um “ingrediente a mais”. “Essa mesma direita tentou fazer comigo em 2005 e não fez porque eu tinha um ingrediente a mais, eu tinha vocês. E eles nunca tinham lidado com presidente da República que tinha nascido no berço operário desse País. Quando eles queriam que eu ficasse em Brasília ouvindo discurso deles, eu disse ’vocês fiquem em Brasília que eu vou para rua derrotá-los como estamos fazendo nesse momento”, afirmou.

 Durante o discurso, Lula pediu o apoio da imprensa e admitiu que “só chegou aonde chegou por causa da imprensa”. Segundo ele, o povo sabe quando a imprensa “está falando a verdade”. E ponderou: “O que eu não posso é ser vítima de inverdades. Quando houve as enchentes aqui, duvido que teve um governo que agiu com tanta rapidez como a gente agiu com nossos irmãos que estavam debaixo d’agua”, afirmou.

    Leia tudo sobre: eleições sceleições dilmaidelilulapleito 2010

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG