Em "cadeiraço pela acessibilidade", Serra evita temas polêmicos

Em evento na capital, tucano diz estar confiante em 2º turno e não comenta declarações da candidata do PT, Dilma Rousseff

Piero Locatelli, iG São Paulo |

A um dia da eleição, o candidato tucano à presidência da República, José Serra, evitou hoje falar sobre temas polêmicos da campanha. Depois de uma caminhada com cadeirantes na avenida Paulista, em São Paulo, ele não quis responder sobre o apoio do presidente do PTB, Roberto Jefferson, ao presidenciável Plínio de Arruda Sampaio (PSOL) e também não comentou a afirmação da adversária petista, Dilma Rousseff, de que as piores coisas da campanha foram “mentiras sorrateiras”.

Quando questionado por jornalistas, o tucano também não quis dizer quais foram os fatos mais marcantes da campanha, afirmando que só poderá falar sobre isso “daqui a 20 a 30 anos”. Serra disse, ainda, que está confiante na ida ao segundo turno.

“O Brasil não tem cor vermelha, não tem cor verde, não tem cor azul. O Brasil é multicolorido. A onda dessa eleição é verde e amarela”, disse Serra retomando pela primeira vez na campanha deste ano o slogan da onda e amarela, usado por ele nas eleições de 2002.

No evento de hoje, Serra estava acompanhado de pessoas com deficiência física, lideradas pela vereadora Mara Gabrilli (PSDB), candidata a deputada federal, e também do candidato tucano ao governo de São Paulo, Geraldo Alckmin, do vice dele, Guilherme Affif Domingos, e do candidato ao Senado do PSDB, Aloysio Nunes.

Ele retomou as promessas de campanha voltadas para as pessoas com deficiência, como a criação de um ministério específico para este público e uma rede especializada que seria batizada com o nome da médica sanitarista Zilda Arns, que morreu no início deste ano.

    Leia tudo sobre: eleições serraeleições dilmapleito 2010

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG