Em Alagoas, Aécio Neves diz que `PT estimula a violência¿

Senador eleito está percorrendo o Nordeste em defesa das candidaturas tucanas

Janaina Ribeiro, iG Alagoas |

O senador eleito por Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), e o presidente nacional do PSDB, Sérgio Guerra, fizeram campanha para o presidenciável José Serra e para o candidato à reeleição Teotônio Vilela Filho (PSDB) neste sábado (23), em Alagoas. Eles participaram de carreatas em duas cidades do interior do Estado e voltaram a condenar o episódio da agressão contra Serra ocorrido na última quarta-feira (20), no Rio de Janeiro. Os caciques tucanos voltaram a defender a forma peessedebista de governar e citaram os exemplos do desenvolvimento dos Estados de São Paulo e Minas Gerais, as duas maiores metrópoles do País, administradas pelo PSDB.

Janaina Ribeiro, iG Alagoas
Aécio Neves em evento com tucanos em Alagoas
Aécio Neves, que chegou a Alagoas na noite de ontem, foi o primeiro político a abrir a coletiva que aconteceu no final da manhã de hoje. Ele iniciou seu discurso defendendo a candidatura do companheiro de partido Teotônio Vilela. “Estamos aqui para mostrar que ele tem grupo político que o defende. Hoje Alagoas é respeitada”, afirmou, admitindo não ter votos para dar ao peessedebista no Estado, mas espera que sua estada em Alagoas possa se refletir no convencimento de mais votos a favor da coligação Frente Pelo Bem de Alagoas .

“Eu serei o quarto senador de Alagoas no Congresso Nacional. Vamos colocar emendas e ajudar a destinar recursos para aprimorar, por exemplo, o turismo em Alagoas. Esse é o Estado que tem o litoral mais lindo do Brasil”, disse o cacique do PSDB.

Aproveitando o momento, Sérgio Guerra emendou: “Um Estado bonito como Alagoas não pode passar por um processo de desconstrução. Ficamos oito anos em Minas Gerais e São Paulo e percebam o salto de qualidade e de desenvolvimento desses lugares”, ressaltou ele.

Episódio da ‘bolinha’
Aécio Neves também falou sobre o objeto que teria atingido a cabeça de José Serra, durante caminhada no Rio de Janeiro, na quarta-feira passada. “Queremos novamente externar a nossa preocupação com o nível da campanha e repudiar a atitude de violência que ocorreu no Rio de Janeiro. (...) A democracia não pode ser subjugada porque, de repente, um candidato que você não apoie está fazendo campanha na sua presença”, condenou ele.

O senador mineiro ainda alfinetou o presidente Lula e a cúpula do Partido dos Trabalhadores. “Uma disputa eleitoral não é o fim do mundo, não são inimigos que estão pleiteando um cargo, são adversários políticos e política é conversa, é diálogo, é convencimento. Se eu fosse o maior líder do PSDB e um militante tivesse praticado um ato daquele, ele seria advertido publicamente por mim. E não foi isso o que aconteceu com o PT. Eles passaram a mão na cabeça, minimizaram o episódio e, com isso, estão estimulando novos atos de violência”, criticou.

O peessedebista aproveitou ainda a oportunidade para dizer que, neste domingo pela manhã, a praia de Copacabana será invadida pela coligação ‘O Povo Pode Mais’. “Os amantes da democracia certamente estarão presentes”, disse Neves.

Vilela volta a falar mal de Lessa

Teotônio Vilela agradeceu as presenças de Sérgio Guerra e de Aécio Neves em Alagoas, disse que votará em José Serra, mas ressaltou a sua parceria com o governo federal. “O governo federal nunca mandou tantos recursos para Alagoas como agora. Quando o Ronaldo Lessa era governador, o Lula já era presidente e, nem assim, o Estado recebeu a mesma quantidade de verbas. É por isso que o meu adversário não fez 20% do que eu fiz. É por isso que ele baixa o nível e inventa histórias”, disse Vilela.

    Leia tudo sobre: eleiçoes aleleições serraaécio neves

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG