Eleitores vendem votos em Roraima

Eles ignoram o Código Eleitoral ¿ que prevê multa e prisão de quatro anos ¿ e oferecem votos em troca de dinheiro, passagem aérea.

Menezes y Morais, iG Brasília |

Em Roraima, assegura o jornalista Jessé Souza, da Folha Web, parte do eleitorado não hesita em oferecer o voto à venda aos candidatos às eleições de outubro.Trata-se do eleitor corruptível, que viola o Código Eleitoral (CE), mais precisamente o artigo o 299, que tipifica a venda do voto como crime eleitoral.

“Dar, oferecer, prometer, solicitar ou receber, para si ou para outrem, dinheiro, dádiva, ou qualquer outra vantagem, para obter ou dar voto e para conseguir ou prometer abstenção, ainda que a oferta não seja aceita: Pena - reclusão de quatro anos e pagamento de cinco a quinze dias-multa,” diz o artigo 299 do CE.

Mas muitos eleitores não se intimidam em vender voto. Jessé Souza assegura que as reuniões políticas dos candidatos “tornaram-se uma maratona de acolhimento de bilhetes de eleitores e de atendimentos ao pé do ouvido sobre os mais diversos assuntos, os que na maioria das vezes resume-se a pedir.”

Bilhetinhos

Numa reunião noturna no bairro Pintolândia – acrescentou o jornalista – os assessores de uma candidata tiveram que se desdobrar para acolher centenas de bilhetinhos manuscritos em pedaços de papel. Pedia-se de tudo, de teste de DNA, a dinheiro vivo, carro, passagem aérea e contas de água e luz para pagar.

“Um senhor de um pouco mais de 30 anos não se fez de rogado ao falar para uma das assessoras qual era o seu pedido a ser feito para a candidata: R$ 5 mil. Seu argumento era que esse dinheiro serviria para abrir seu próprio negócio. Outro não queria muito, ‘apenas’ desejava ganhar um carro.”

Os exemplos colhidos em Roraima são muitos. “Outro eleitor, ao ver uma assessora com um celular na mão (que era da candidata) não se intimidou: ‘Eu só quero esse celular chique’. No gabinete de um político, um homem conseguiu quatro passagens aéreas para ‘uma viagem de urgência’. E quando retornou, trazia nas mãos cinco contas de água para o candidato pagar”.

    Leia tudo sobre: eleiçõesroraimavenda de votos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG