Eleitor repudiou candidato ficha suja, diz Lewandowski

Presidente do TSE disse que mesmo sem uma definição sobre a Ficha Limpa, a lei prestou um "serviço importante"

Severino Motta e Danilo Fariello, iG Brasília |

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Ricardo Lewandowski, disse nesta noite que a Lei da Ficha Limpa, apesar de ainda não ter sua validade atestada pelo Supremo Tribunal Federal (STF), “prestou um serviço” à sociedade e que a população “respondeu a ela barrando vários candidatos”.

“Em alguns Estados nós verificamos que os candidatos barrados pela lei da ficha limpa foram repudiados pelos eleitores, pela população de modo geral (...) independentemente do resultado final da lei no STF, nós estamos convencidos que essa lei prestou serviço importante e a população respondeu barrando vários candidatos”, disse.

A declaração foi dada numa entrevista coletiva em que Lewandowski fez um balanço das eleições. Ele comentou que cerca de quatro horas após o final da votação a Justiça Eleitoral já apresentava um quadro dos eleitos e minimizou as ocorrências e falhas durante o processo eleitoral.

“Uma eleição deste porte, com quase 136 mi de eleitores num país de dimensões continentais, eu tenho a satisfação de dizer que tivemos um número muito pequeno n do ponto de vista relativo de ocorrências”, disse.

Ele ainda corrigiu o número de prisões de candidatos anteriormente divulgado. Não foram 56, mas sim 49, em 300 ocorrências. Quanto aos eleitores, 2.769 foram flagrados cometendo ilícitos, na maioria, boca de urna. Deles, 1.089 foram presos.

    Leia tudo sobre: eleiçõestseficha limpalewandowski

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG