Eleição sem crime eleitoral

É o que promete o TRE do Amazonas, onde a ¿fiscalização rigorosa¿ do primeiro será reedita no segundo turno

Menezes y Morais iG Brasília |

A presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM) Graça Figueiredo disse que a exemplo das eleições do primeiro turno, o Tribunal manterá o mesmo rigor na fiscalização do segundo turno, quando o eleitorado comparecer às urnas para eleger o (a) Presidente da República no dia 31.

Para a presidente do TRE, ilícitos eleitorais no Estado são “coisas do passado a política de prática abomináveis pela sociedade. Se havia alguém com essa intenção mudou de ideia.” Acrescentou que “a rigorosa fiscalização que imprimimos à eleição fez com que essas pessoas mal intencionadas recuassem, pois viram que nós estávamos atentos."

E acrescentou: "Elas entenderam de antemão que seriam flagranteadas, por isso essa tranquilidade do pleito. A justiça aparece altaneira e ninguém se atreve a desrespeitá-la." A desembargadora agradeceu a colaboração dos juízes eleitorais, que são quase 70 em Manaus, ao Ministério Público e a todos os funcionários que, segundo ela, "são muito dedicados"

“A sociedade – acrescentou – participou do processo eleitoral. Quero agradecer ao Exército, à Marinha e às polícias Militar e Federal. A imprensa que deu toda a cobertura e transparência ao processo também contribuiu muito com os resultados positivos das eleições.”
Transparência

Para a presidente do TRE, houve “normalidade” e “transparência” na eleição do dia 3 no Estado. "Isso pode ser visto por todas as pessoas que estão na cidade de Manaus. Nós percorremos todos os lugares que pudemos, outras equipes de colegas do Eleitoral também percorreram os mais distantes lugares do interior.”

“Isso os senhores puderam ver que não houve nenhuma anormalidade real que pudesse ir pra registro," concluiu.

    Leia tudo sobre: eleições amtre amgraça figueiredosegundo turno

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG