Eleição potiguar pode ter vitória de candidata do DEM no 1º turno

Aliança de Rosalba e de candidatos ao Senado está à frente das pesquisas no RN, onde campanha ficou alheia ao embate federal

Danilo Fariello, iG Brasília |

O Rio Grande do Norte pode ser um dos poucos redutos eleitorais com votação maciça da oposição ao governo federal, se confirmada a vitória da candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff. Lá, as pesquisas apontam vitória da candidata do DEM, Rosalba Ciarlini, no primeiro turno, assim como a aprovação nas urnas dos candidatos ao Senado que a apoiaram, Garibaldi Alves Filho, do PMDB, e José Agripino, do DEM.

O principal concorrente de Rosalba na eleição de hoje é o atual governador e candidato apoiado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Iberê Ferreira de Souza (PSB). Iberê conseguiu reduzir a distância na preferência do eleitorado potiguar de 35 pontos percentuais, em julho, para 17 pontos percentuais, na última pesquisa Vox Populi/Band/iG, em setembro.

Nesse ritmo de conquista do eleitorado, o candidato apoiado por Lula e Dilma tenta levar hoje o pleito para o segundo turno. O número de votos de Iberê cresceu, principalmente, depois da visita de Dilma a Natal, no dia 28 de julho. Serra também esteve no RN, onde, em agosto, participou de carreata com Rosalba, apesar de não ter sido mostrado na campanha de TV da atual senadora.

Segundo o levantamento de 25 de setembro, Rosalba possuía 46% das intenções de voto, enquanto Iberê tinha 29% das intenções. A margem de erro é de 3,7 pontos porcentuais. Na pesquisa mais recente, divulgada ontem pela InterTVCabugi/Ibope, Rosalba tem 49% das intenções e Iberê, 30%. As pesquisas, portanto, ainda indicam vitória de Rosalba no primeiro turno.

No Senado, a dupla Garibaldi e Agripino têm a dianteira com folga para ocupar as duas vagas do Estado no Senado. Segundo a Vox Populi/Band/iG, Garibaldi tem 59% das intenções e Agripino tem 57%. Ambos concorrem à reeleição. Em terceiro lugar na corrida ao Senado está a ex-governadora Vilma de Faria (PSB), apoiada por Iberê.

Aliança tríplice

Para Agripino, o sucesso previsto para a parceria ente ele, Garibaldi e Rosalba é “produto da qualidade dos candidatos e da aliança que foi feita”. “São três forças que se somam”, diz o senador.

Apesar de ser político histórico do PMDB, Garibaldi contrariou a direção nacional do partido e declarou apoio à candidata do DEM, formando a aliança “O RN 3 vezes mais forte”, também com Agripino.

Segundo Henrique Eduardo Alves (PMDB), parente de Garibaldi e candidato ao 11ª. mandato de deputado federal pelo Rio Grande do Norte, boa parte do PMDB local está apoiando Rosalba, mas isso não comprometeu a campanha de Dilma Rousseff no Estado.

    Leia tudo sobre: eleições2010eleições RNrosalbademagripinogaribaldi

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG