Governador de Pernambuco, candidato à reeleição, não acredita em segundo turno nas eleições presidenciais

Eduardo Campos (PSB), governador e candidato à reeleição em Pernambuco, disse ontem, depois de caminhada em Sertânia, a 320 km do Recife, que já era de se esperar a vantagem de mais de 50 pontos percentuais que as pesquisas mostram entre ele e o seu principal adversário, Jarbas Vasconcelos (PMDB). “Já pelas projeções de janeiro deste ano, nossas pesquisas indicavam esse quadro que se configurou”, afirmou. “Não se trata de petulância nem sapato alto. Se alguém me perguntar se estou surpreso com todos os números que nos garantem uma vitória tranqüila, eu digo que não, porque já venho recebendo relatórios nesse sentido desde janeiro deste ano”, disse.

Quanto à sua opinião sobre as chances de um segundo turno nas eleições presidenciais, Campos afirmou que que não acredita na possibilidade. Para Eduardo, não há mais tempo de mudar algo, sem falar que Dilma Rousseff (PT) não apresenta quedas acima da margem de erro. O candidato admite que com os escândalos na Casa Civil, Dilma perdeu quatro pontos em Pernambuco. Mas, afirma que “isso está na margem de erro”.

Acompanharam o governador na caminhada os candidatos ao Senado da sua coligação, Humberto Costa (PT) e Armando Monteiro (PSB). O deputado federal Luiz Gonzaga Patriota, Danilo Cabral, candidato a deputado federal e Waldemar Borges, candidato a deputado estadual, também estavam presente.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.