"É inusitada", diz Cesar Maia sobre coligação no RJ

Para ex-prefeito democrata, as coisas irão se acomodar com o tempo

Anderson Dezan, iG Rio de Janeiro |

O ex-prefeito do Rio de Janeiro e pré-candidato democrata ao Senado, Cesar Maia, disse neste domingo que a coligação feita entre PV, PSDB, DEM e PPS para as eleições deste ano é “inusitada”. A afirmação foi feita durante a cerimônia de lançamento da pré-candidatura de Fernando Gabeira ao governo do Estado do Rio de Janeiro. A chapa política formada conta com dois pré-candidatos à presidência da República: Marina Silva (PV) e José Serra (PSDB).

“Essa é uma coligação inusitada. Nunca houve isso na história das eleições brasileiras. Você tem o vetor senador apoiando um candidato à presidência, José Serra, e o vetor governador apoiando outro candidato, Marina Silva. Por isso é que produz esse desconforto. Nunca vivemos essa situação, mas as coisas vão se acomodando”, garantiu Cesar Maia.

Ao iG , o político democrata fez questão de afirmar que não irá fazer campanha para Marina. “O programa do Gabeira pode até receber o apoio do Serra, mas deve ser voltado para a Marina. Já o meu programa vai ser voltado para o Serra”, afirmou, completando que há a possibilidade de uma parcela do público eleitor não entender essa aliança.

Com a disputa pela presidência polarizada entre dois candidatos, Cesar Maia disse que ela pode ser resolvida ainda no primeiro turno. Segundo ele, tanto a candidata petista, Dilma Rousseff, quanto o tucano José Serra, possuem credenciais para não levar a disputa para o segundo turno.

“Qualquer um dos dois pode ganhar no primeiro turno. A Dilma precisa que os votos masculinos se transformem em femininos e o Serra precisa que os votos femininos se transformem em masculinos. Esse deve ser o vetor que irá possibilitar a vitória no primeiro turno”, avaliou.

    Leia tudo sobre: Cesar MaiaFernando GabeiraMarina SilvaJosé Serra

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG