Duas linguagens na campanha eleitoral em Goiás

Íris e Perillo começam ataques no rádio, mas continuam amenos na TV. Falta proposta, sobra crítica

Rodrigo Viana, iG Goiás |

No segundo turno da campanha eleitoral em Goiás, os candidatos ao governo Iris Rezende (PMDB) e Marconi Perillo (PSDB) mantiveram a estratégia do primeiro turno de centrar ataques no rádio e focar propostas na televisão. Mas se em setembro a briga era para saber quem criou primeiro as propostas apresentadas, agora eles apontam um ao outro como o governador que menos cumpriu promessas.

Marconi lembrou que Iris, por duas vezes quando disputava a prefeitura de Goiânia, prometeu resolver o problema da superlotação do transporte público em seis meses. Mas segundo Marconi, o transporte continua sendo um dos principais problemas da região metropolitana. Marconi ainda criticou indiretamente o governador Alcides Rodrigues (PP), ex-aliado.

Para Marconi, o "governador não pode ficar parado dentro do palácio esperando as empresas chegar a Goiás". Iris lembrou que Marconi prometeu construção de casas, mas ficou aquém do prometido.O peemedebista ainda lembrou obras inacabadas do tucano como o Centro Olímpico e o Centro Cultural Oscar Niemeyer.

Na televisão Marconi procurou apenas apresentar propostas para a Educação, como a ampliação da Universidade Estadual de Goiás e a valorização dos professores. Iris prometeu reforma de escolas, construção de hospitais regionais e seis maternidades-modelo, duplicação das rodovias que saem de Goiânia e recuperação de sua malha em um ano.

    Leia tudo sobre: eleições goíris goperillo gohorário eleitoral

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG