Dissidentes do PV mineiro criam nova sigla e apoiam Dilma

Dissidentes do PV realizam no sábado a primeira convenção do Livre, partido em fase de legalização, com descontentes do PT e PCdoB

Reuters |

Dissidentes do Partido Verde (PV) realizam neste sábado, na Câmara Municipal da capital mineira, a primeira convenção nacional do Livre, partido em fase de legalização que já tem, segundo seus fundadores, filiados em 15 dos 27 Estados brasileiros.

Além de discutirem o estatuto e o programa da nova legenda, os militantes vão anunciar seu apoio oficial à candidatura de Dilma Rousseff (PT) à Presidência da República.

A legenda quer estar legalizada até julho do ano que vem para poder disputar as eleições municipais de 2012.

Livre é a sigla de Liberdade, Igualdade, Verdade, Responsabilidade e Educação e reúne, além de descontentes do PV, militantes do PT e do PCdoB.

De acordo com um dos fundadores, o publicitário Anderson Pomar, a nova legenda tem 100 mil das 500 mil assinaturas necessárias para que o partido seja legalizado junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Ele espera que até julho o novo partido consiga marcar presença nos 27 Estados.

"O Livre é diferenciado dos outros. Não queremos crescer por crescer e levamos em conta as afinidades ideológicas e a ficha limpa", informou Pomar. Ainda segundo ele, o Livre é o primeiro partido cuja cota de 30 por cento dos candidatos reservada às mulheres faz parte das regras partidárias.

O publicitário disse que o "desgaste" dentro do PV já vinha desde que uma ala interna exigiu uma reforma programática e que a decisão de se separar culminou com a filiação da senadora Marina Silva, pré-candidata do partido à Presidência da República e egressa do PT.

O partido defende temas polêmicos como a descriminalização da maconha, a defesa da união civil de pessoas do mesmo sexo e a legalização do aborto.

Os militantes decidiram dar apoio à candidatura de Dilma Rousseff por entender que só ela pode implementar propostas defendidas pelo futuro partido, entre elas a do projeto que criminaliza a homofobia.

Foram convidados a participar do evento deste sábado o pré-candidato ao governo de Minas Gerais pelo PT, Fernando Pimentel, e o presidente estadual do PT, deputado federal Reginaldo Lopes.

(Reportagem de Heraldo Leite)

    Leia tudo sobre: pvptpcdobdilmamarina silva

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG