Disputa em SP está estagnada, mas TV pode modificar cenário

Cientista político aponta, entretanto, que Lula não vai transferir votos a Mercadante na mesma medida em que transfere para Dilma

Piero Locatelli, iG São Paulo |

A estagnação do quadro eleitoral em São Paulo deve mudar com o começo do horário eleitoral gratuito nesta semana, segundo avaliação de Rubens Figueiredo, cientista político e diretor do CEPAC (Centro de Pesquisas e Análises de Comunicação). A pesquisa Vox Populi/Band/ iG publicada hoje mostra Geraldo Alckmin com 49% das intenções de voto contra 17% de Aloizio Mercadante (PT).

“O horário eleitoral vai ser importante em São Paulo e certamente vai haver uma modificação nos índices de intenção de voto. Você não vê resultado de eleição cinquenta a dezessete”, diz o especialista.

A esperança de Mercadante para subir nas pesquisas é colar na imagem do presidente Luiz Inácio Lula da Silva no início do horário eleitoral gratuito. Mas, na avaliação do especialista, isso não deve ocorrer como ocorreu até agora na eleição nacional com a candidata Dilma Rousseff (PT).

“O Lula tem a capacidade de transferir mais votos para a Dilma do que para o Mercadante, como já ficou demonstrado quando ele tentou transferir voto para a Marta ( Suplicy, derrotada na eleição para a Prefeitura de 2006 )”, diz Figueiredo. O cientista avalia que a estagnação dos candidatos até o momento reflete o fato de os principais postulantes ao governo paulista serem velhos conhecidos do eleitorado.

“Ao contrário da eleição federal, onde houve uma alteração dos índices de intenções de voto bastante expressiva, em São Paulo você não tem um desconhecimento do eleitorado em relação aos candidatos. O quadro estadual é muito mais estável que o nacional, onde você tem uma novidade que é a Dilma.”

    Leia tudo sobre: eleições spalckminmercadantevox populi

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG