'Dilmetes' contratadas embelezam inauguração de comitê paulista

Políticos eram recebidos por modelos que ofereciam: 'Quer um selinho?' Quem aceitava recebia um adesivo de campanha no peito

Ricardo Galhardo, iG São Paulo |

“Quer um selinho?” Com essa frase, políticos que chegavam à inauguração do comitê de Dilma em São Paulo, eram recepcionados por Valéria Torres, uma mulata de 1,80 m, que fazia a oferta a cada um dos convidados. Quando o político aceitava o selinho, ela pregava um adesivo de campanha no peito dele.

Ricardo Galhardo, iG São Paulo
Modelos contratadas para embelezar eventos de campanha da candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, em São Paulo, participam de inauguração de comitê na capital
Valéria faz parte de uma equipe de 10 modelos - algumas delas ligadas a escolas de samba - contratadas junto a agências de Campinas, no interior do Estado, para embelezar a campanha, com salários que variam de mil a dois mil, dependendo do currículo.

Elas distribuem material de campanha e recepcionam convidados em eventos políticos no Estado de São Paulo. O uniforme é sempre o mesmo: calça jeans apertada, salto alto e uma camisetinha lilás, cor simbólica adotada pelo setorial de mulheres do PT, bastão do feminismo na política brasileira, criado por Clara Charf, uma das mais antigas representantes da causa feminista no Brasil, com mais de 60 anos de luta pelos direitos das mulheres, e que também é conhecida por ter sido companheira do guerrilheiro Carlos Mariguela.

Ao contrário da fundadora do setorial de mulheres, as “dilmetes” estão ali só pelo dinheiro. Ao ser questionada sobre suas preferências políticas, a modelo Silvia Novaes, estrela principal do grupo, Miss São Paulo 2009, tentou desconversar: “Prefiro não comentar sobre isso. O voto é secreto”.

Silvia deixou claro que a participação na campanha de Dilma é só mais um trabalho. “Surgiu essa oportunidade de trabalhar com política e eu decidi aproveitar. Além do salário, é bom porque a gente faz muitos contatos”, disse ela.

Diferentes de cabos eleitorais que agitam bandeiras nos semáforos e fazem claque em eventos políticos, as “dilmetes” estão mais para relações públicas. E, a julgar pela reação das dezenas de políticos do interior que participaram da inauguração do comitê, o efeito é eficaz.

Quando Valéria relaxou um pouco e foi tomar um copo de suco, um vereador do PMDB, vindo do interior para a festa, não resistiu, se aproximou e tentou um contato. “Já vi mulheres altas e bonitas, mas, igual a você nenhuma!”. E Valéria, em atitude profissional, ignorou.

    Leia tudo sobre: Eleições Dilmapleito 2010eleições SP

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG