Imagens da reunião poderiam ter sido escondidas pelo Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, diz revista

A candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, voltou a negar que tenha se encontrado com a ex-secretária da Receita Federal Lina Vieira, para pressioná-la à encerrar uma investigação fiscal contra a família Sarney. "Afirmo que tive reuniões com ela (Lina Vieira), que não foram a que ela relatou", disse, no início da tarde, antes de encontro político realizado em Jales, no interior de São Paulo.

A ex-ministra voltou a ser questionada sobre a denúncia da controversa reunião com Lina Vieira, supostamente ocorrida em 9 de outubro de 2008, porque a revista Veja publicou reportagem hoje trazendo uma nova versão que confirmaria a história contada pela ex-secretária da Receita federal.

Segundo a revista Veja, o técnico de informática Demetrius Sampaio Felinto revelou que existe cópia da suposta reunião gravada no circuito interno de TV do Palácio do Planalto.

"Não tive acesso ainda à reportagem e não acredito nisto", disse Dilma.

Única maneira de provar quem diz a verdade, Dilma ou Lina Vieira, as imagens teriam sido apagadas, segundo informações divulgadas à época pelo serviço de segurança da Presidência, levando o caso a ser encerrado.

À Veja, Felinto disse que vinha sofrendo pressão para não revelar a existência do vídeo. Ainda segundo a revista semanal, o denunciante vinha há sete meses negociando com o comitê de campanha do PT a não divulgação das imagens. E que também vinha tentando obter vantagem para divulgar ou não, dependendo do interesse de quem se propusesse a pagar.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.