Dilma sinaliza que não subirá no palanque de Geddel

A candidata do PT tentou disfarçar desconforto com palanque duplo na Bahia alegando dificuldade de agenda

Andréia Sadi, enviada à Bahia |

nullA candidata do PT à Presidência Dilma Rousseff admitiu, nesta quinta, que deve recusar um eventual convite de Geddel Vieira Lima, candidato do PMDB ao governo da Bahia, para um comício em Salvador. Ela já esteve na cidade para o lançamento da candidatura dele, e voltou em campanha pela reeleição do governador Jaques Wagner, seu companheiro de partido.

Na reta final da campanha, Dilma disse a jornalistas que precisa ver “a disponibilidade de sua agenda". "Eu já subi (no palanque dele), na campanha. (..) Farei grande esforço, mas não tenho certeza", disse a candidata.

Dilma afirmou que precisa ainda completar agendas no Norte e no Nordeste, além de intensificar as gravações para os programas da propaganda eleitoral, mas afirmou que tem com a Bahia tem “uma questão de amor".

A declaração da petista ocorre em meio às especulações de que o PMDB estaria cobrando que Lula e Dilma participassem de ato político com o ex-ministro da Integração Nacional Geddel Vieira Lima.

Em seguida, Jaques Wagner disse que não pediria para Dilma evitar o adversário peemedebista, mas, que a preferência seria dela. "Há uma situação eleitoral que precisa ser reconhecida", disse, referindo-se à vantagem de sua própria candidatura nas pesquisas de intenção de voto.

    Leia tudo sobre: Eleições Dilmaeleições BApleito 2010

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG