Dilma Rousseff diz que CPI da Receita é "factóide"

Candidata do PT à critica iniciativa do deputado federal Raul Jungmann de colher assinaturas para investigação no Congresso

Adriano Ceolin, iG Brasília |

nullA candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff , classificou como “factóide” a proposta da oposição de se criar uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) no Congresso para investigar a violação dos sigilos fiscal de integrantes do PSDB e familiares do presidenciável tucano José Serra na Receita Federal. Para ela, o caso não repercute negativamente na sua campanha.

“Posso falar uma coisa... Eu acho que é mais um factóide”, disse Dilma, após ser questionada sobre a criação da CPI. Ela deu entrevista em Brasília, minutos antes de embarcar para Betim (MG). “E se acharem que está caindo (a minha posição nas pesquisas), esperem para ver. Nós estamos assim absolutamente tranquilos com a situação presente”, completou.

Dilma defendeu ainda a abordagem do caso pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva no programa eleitoral gratuito do PT na noite desta terça-feira. A ex-ministra da Casa Civil, porém, negou que Lula falou para evitar que ela própria tratasse do assunto. “Não falou por ele. Ele é do meu partido, líder do PT”, afirmou.

A candidata petista ressaltou que “continua sem descer ao nível do Serra” e que “Lula fez uma fala institucional”. A ministra negou que tema discutir o assunto. “Falar em baixaria eu falo também. O candidato adversário faz factóides, baixarias e falsidades”, disse. “As duas falas (minha e do Lula) surtem efeito. Uma complementa a outra", afirmou.

Dilma comentou ainda que "o brasileiro é um povo pacífico e que detesta agressão" em campanha eleitoral. A ex-ministra insistiu que não há relação entre as violações de sigilo e a campanha dela. "Nesta questão da legalidade, tem um salto mortal entre vazamento da Receita e a minha campanha. E essa legalidade o Tribunal Superior Eleitoral reconheceu", afirmou.

A proposta de criação da CPI é do deputado federal e candidato ao Senado em Pernambuco Raul Jungmann (PPS-PE). O presidente nacional do PT, José Eduardo Dutra, afirmou que CPI é um direito que cabe à oposição, mas ironizou o fato de Jungmann estar à frente da iniciativa.

“Acho que ele deveria se preocupar em pedir voto em Pernambuco porque a situação não está muito confortável”, afirmou Dutra. “Para mim este é um caso de política (violação de sigilos na Receita), por isso pedimos para a Polícia Federal para apurar”, disse.

    Leia tudo sobre: Pleito 2010Eleições DilmaEleiçõesCaso Receita

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG