Dilma rechaça tolerância com ações ilegais do MST

A candidata do PT disse que ninguém que governe um País, um Estado ou um município pode ser complacente com a ilegalidade

Agência Estado |

A candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, afirmou hoje, numa entrevista à Rádio Educadora Jovem Pan, de Uberlândia (MG), que não vai tolerar ações ilegais do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) ou de outros movimentos sociais. "Ninguém que governe um País, um Estado ou um município pode ser complacente com a ilegalidade. Invasão de terras, de centro de pesquisa, de prédios públicos é ilegalidade. E ilegalidade não é permitida", afirmou.

Dilma acrescentou que, no governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, houve uma valorização muito grande da agricultura familiar, que, segundo ela, é responsável por 40% da produção agrícola do País. Dilma afirmou que o governo tem uma linha de crédito para a venda de 60 mil tratores pequenos e que 25 mil já estão nas mãos dos agricultores. A candidata ainda elogiou o agronegócio, segundo ela, "responsável por uma agricultura de alta qualidade, produtiva, que gera riqueza para o País".

A candidata afirmou que vai se aconselhar com o presidente Lula toda vez que for necessário e que ele, certamente, terá influência em seu governo, embora não acredite que queira ser ministro. Ela também anunciou um plano de combate ao tráfico e consumo de crack.

    Leia tudo sobre: Dilma RousseffMSTeleições 2010

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG