Dilma pede direito de resposta na TV após sermão de padre

Representação do PT diz que religioso emitiu opiniões ofensivas e caluniosas contra a candidata

Agência Estado |

selo

Por meio de representação direcionada ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a coligação "Para o Brasil Seguir Mudando" e sua candidata à Presidência, Dilma Rousseff (PT), solicitaram direito de resposta contra a TV Canção Nova, no tempo de 15 minutos, em horário matutino. Na manhã de ontem, a emissora teria exibido, ao vivo, um sermão no qual um padre pediu aos fiéis que não votem na candidata no segundo turno das eleições.

Segundo a representação, no programa transmitido pela TV Canção Nova, o religioso emitiu opiniões ofensivas à candidata e ao PT, com afirmações de caráter difamatório e injurioso. "Dentre outras afirmações falsas e ofensivas, de cunho difamatório e calunioso, o referido padre afirma que o PT é a favor da interrupção de gestações indesejadas", afirma.

A representação sustenta que a emissora não se limitou a emitir opinião contrária à coligação e à candidata, mas fez graves ofensas à honra e à reputação, "a ensejar a concessão de direito de resposta". Entre as acusações mencionadas estão a de que o País piorará se o PT e sua candidata ganharem as eleições e a de que o partido defende a prática de aborto.

O padre teria dito ainda que a candidata e o PT pretendem aprovar leis que cerceiem as liberdades de imprensa e religiosa, que ambos pretendem aprovar a celebração de casamento entre homossexuais e que eles têm a intenção de transformar a nação brasileira em uma nação comunista e terrorista.

Em todas elas, conforme a representação, o religioso afirma que poderia ser morto ou preso em virtude de suas afirmações, "em clara sugestão caluniosa de que o PT poderia praticar algum crime contra a sua integridade física".

    Leia tudo sobre: pleito 2010eleições dilma

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG