'Dilma oferece ao Brasil uma nova ditadura', diz Indio ao iG

Ao iG, vice de Serra volta a acusar PT de ligação com as Farc e diz que candidata petista atenta contra liberdade de imprensa

Nara Alves, iG São Paulo |

Em mais uma leva de ataques à presidenciável petista Dilma Rousseff, o candidato a vice-presidente na chapa presidencial tucana, deputado Indio da Costa (DEM-RJ), afirmou que a ex-chefe da Casa Civil vai implantar uma "nova ditadura" no País se sair vitoriosa das urnas em outubro. Na afirmação, feita em visita ao iG nesta segunda-feira, o deputado toma por base, por exemplo, a tese que Dilma atenta contra a liberdade de imprensa.

"O documento que ela ( Dilma ) assinou e que mandou como programa de governo é absolutamente contra a liberdade de imprensa. O decreto que ela aprovou de Direitos Humanos que foi aprovado pelo presidente trata de uma era ditatorial sobre comunicação", disse o vice, em referência a documentos como as diretrizes do programa de governo de Dilma ou o Plano Nacional de Direitos Humanos. "Ela diz que lutou contra a ditadura. O que ela está oferecendo para o Brasil é uma nova ditadura. Muito mais complexa do que aquela ( porque ) é por dentro, aprovada pelo Congresso Nacional", disse.

Flávio Torres/Fotomídia
Indio da Costa concede entrevista na sede do iG em São Paulo

Na conversa com o iG , Indio voltou a acusar o PT de ligação com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), declaração que causou polêmica logo após o início oficial da campanha.

Indício da ligação entre o partido e a guerrilha colombiana, segundo ele, é o fato de ambos estarem representados na 16ª edição do Foro de São Paulo, em Buenos Aires. "O PT e as Farc estão agora no Foro de São Paulo. Se eu fosse convidado para uma reunião das Farc, eu ia com a Polícia Federal e prendia todo mundo", afirmou. O deputado lembrou, também, que o PT em nenhum momento negou ter relações com as Farc.

Para o deputado, violência como a vista ontem na invasão de um hotel de luxo na capital fluminense, e o consumo de drogas, especialmente o crack, aumentaram no governo Lula. "Essa realidade só existe por causa da frouxidão do atual governo. É por isso que vamos criar um Ministério da Segurança Pública", ressaltou.

nullO Rio, disse Indio, vive essa situação porque governos passados foram "permissivos", a exemplo do comandado por Leonel Brizola (PDT), duas vezes governador do Estado. "Nunca votei no Brizola, tenho horror ao Brizola. Ele arrasou com o Rio de Janeiro", afirmou. Indio afirmou que uma "guerrilha urbana" tomou forma no Rio e corre o risco de ganhar o Brasil todo se não houver uma mudança nos rumos da política nacional.

O vice de Serra aponta a criação da nova pasta de Segurança também como uma medida para reduzir o consumo de drogas e, assim, o custo para a saúde pública. "Em 1984, por que os Estados Unidos decidiram invadir a Colômbia? Porque o custo da saúde pública era tão alto nos EUA que eles precisavam baixar o custo. Foram ver o que consumia mais recursos e era tratar de dependentes químicos, uma coisa que faremos também", disse. 

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG