Dilma minimiza números do IBGE sobre saneamento

A candidata disse que o relatório ainda não reflete investimentos do governo Lula e que os números de 2009 e 2010 serão superiores

Andréia Sadi, enviada ao Espírito Santo |

Agência Estado
A candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, se encontra com o governador do Espírito Santo, Paulo Hartung (PMDB) em dia de campanha em Vitória (ES)
A candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, minimizou o resultado do IBGE divulgado hoje sobre a coleta de esgoto por rede no País, e disse que os dados ainda não mostram os investimentos feitos pelo governo Lula. Em Vitória, durante entrevista coletiva, a ex-ministra disse ter certeza de que haverá uma ampliação do número de tratamento de esgoto quando forem levantados os dados de 2009 e 2010.

“Nós começamos as obras do PAC na área de esgoto em 2008, por quê? Porque levamos 2007 selecionando projetos. No Brasil, não se investia em saneamento básico. (...) Como não tinha dinheiro, as prefeituras não faziam projetos. Aí tivemos trabalho de selecionar e chamamos todos os prefeitos e governadores, e fizemos um processo seletivo. Eu gostaria de ver um número fechado para 2009 e 2010 porque eu tenho certeza de que haverá uma ampliação do tratamento de esgoto. Agora, é um processo que teremos de insistir porque foram anos sem investimento em saneamento”, disse a candidata.

Em recente entrevista ao Jornal Nacional, da Rede Globo, na série com os presidenciáveis, Dilma afirmou que o resultado seria "excepcional" quando a pesquisa mostrasse a situação do saneamento em 2010. A candidata apontou o saneamento como uma das áreas pela qual mais se empenhou no governo e citou investimento de R$ 270 milhões na favela da Rocinha para exemplificar o tamanho do aumento em relação aos 300 milhões que o governo federal investia no Brasil inteiro.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou, nesta sexta-feira, a Pesquisa Nacional de Saneamento Básico (PNSB 2008). O estudo faz uma radiografia da extensão e qualidade das redes de esgoto, de abastecimento de água, de drenagem da água da chuva e de coleta de lixo e limpeza pública, que atendiam os 5.554 municípios brasileiros em 2008. Mesmo indicando melhorias desde a última pesquisa, realizada em 2000, a PSNB 2008 mostra um longo caminho a ser percorrido pelos governos federais, estaduais e municipais na prestação de serviço de saneamento básico para a população.

    Leia tudo sobre: Eleições Dilmapleito 2010saneamento

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG