Dilma já prepara equipe para transição de governo

Presidenta eleita convocou reunião com aliados mais próximos nesta segunda-feira, para começar a 'distribuir tarefas'

Clarissa Oliveira, iG São Paulo |

Menos de três horas depois de as urnas confirmarem sua vitória, a presidenta eleita Dilma Rousseff (PT) começou a preparar sua equipe para a transição de governo. O primeiro passo foi convocar seus aliados mais próximos para uma reunião privada nesta segunda-feira, para começar a discutir as primeiras medidas a serem tomadas agora que terminou a corrida presidencial.

Marcelo Deda
Imagem foi postada no Twitter de Marcelo Déda
Dilma convidou para a conversa os coordenadores de sua campanha Antonio Palocci, José Eduardo Dutra e José Eduardo Cardozo. Além deles, foram chamados também o ex-prefeito de Belo Horizonte Fernando Pimentel e o assessor Giles Azevedo.

O plano, segundo um dos integrantes do círculo próximo à presidenta eleita, é começar a "distribuir tarefas". Dilma avisou a aliados que quer deixar os primeiros trabalhos encaminhados antes de viajar ainda esta semana para descansar da campanha.

Dilma recrutou parte de seu time para a reunião durante a recepção organizada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva no Palácio da Alvorada, na qual estavam também governadores eleitos. Ela seguiu para a residência oficial da Presidência logo após fazer seu discurso de vitória em um hotel em Brasília. Lula preferiu não aparecer e deixou para comemorar com a sucessora somente mais tarde. Ainda assim, uma imagem postada pelo governador de Sergipe Marcelo Déda no Twitter indica que o presidente pode ter acompanhado o discurso de Dilma nos bastidores.

Do encontro desta segunda, o grupo próximo a Dilma sairá com o discurso afinado para se reunir na quarta-feira com Lula e o time que representará o governo na equipe de transição.  Já é certo que o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, terá um papel de destaque nas negociações.

Embora seja citado por petistas como o principal nome para fazer a ponte entre a campanha e o governo, Bernardo declarou no domingo à noite que caberá ao ministro interino da Casa Civil, Carlos Eduardo Esteves Lima, liderar esse trabalho. Lima substituiu a ex-ministra Erenice Guerra, que deixou o cargo no auge da campanha, em meio às denúncias sobre um esquema de tráfico de influências no governo.

*Colaborou Ricardo Galhardo, enviado a Brasília

    Leia tudo sobre: eleições dilmaeleições serrapleito 2010

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG