Dilma já fala em "estender" a mão para Serra após a eleição

Petista nega que campanha trabalhe com a ideia de vitória antecipada, mas diz que "estenderia" a mão para Serra

Andréia Sadi, iG Brasília |

A candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, voltou a negar que a campanha esteja de "salto alto" e trabalhe com uma vitória antecipada por conta das pesquisas que registram larga vantagem da ex-ministra sobre o principal adversário, José Serra (PSDB). No entanto, Dilma disse durante coletiva neste sábado (28), em Brasília, que, após a eleição “estenderá” a mão para Serra se ele quiser “partilhar do processo de transformação”.

“Para quem quiser partilhar (..) Eu não sei se ele quer. Você pergunta para ele. Se ele quiser, estenderia perfeitamente. Estou fazendo um conceito: o governo ou é para todos ou não é republicano”, afirmou.

Agência Estado
Dilma e Dutra (presidente do PT) observam papagaios durante entrevista

A ex-ministra vem repetindo que não subirá no salto alto por conta das pesquisas e rebateu a declaração de Marina Silva, candidata do PV, de que um segundo turno seria bom para democracia. “Eu acho estranho porque se fosse assim porque tem primeiro e segundo turno? Democracia sai fortalecida se tiver primeiro turno puro e simplesmente ou se tiver segundo turno. É a típica fala que diz respeito a uma avaliação antecipada das eleições. É como futebol. Alguém conta o gol antes da bola estar na rede”, comparou.

Sobre as notícias sobre violação da Receita, Dilma disse que em qualquer esfera pode haver caso de corrupção e que é preciso fortalecer as instituições. “Isso incomoda tanto a situação como a oposição. O ex-ministro Marcio Thomaz Bastos sempre dizia que a gente nunca pode apostar na virtude das pessoas porque elas falham. Precisamos apostar na virtude das instituições”, declarou.

    Leia tudo sobre: Eleições DilmaPleito 2010Dilma Rousseff

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG