De olho no segundo maior colégio eleitoral do país, candidatos percorrem as principais ruas de BH na manhã deste sábado (30)

Na véspera da votação de 31 de outubro, os candidatos à Presidência Dilma Roussef (PT) e José Serra (PSDB) estarão em Belo Horizonte para fazer o último ato de suas campanhas. Durante todo o segundo turno, o estado foi palco de uma disputa acirrada que teve a presença dos presidenciáveis em diversas cidades mineiras e encontros com políticos de vários partidos, inclusive das coligações adversárias.

Nesta sábado (30), Dilma estará em Belo Horizonte pela manhã, quando participa de uma carreata em Venda Nova, ao lado das principais lideranças dos partidos aliados, como os candidatos derrotados ao governo de Minas Hélio Costa (PMDB) e Patrus Ananias (PT), e o candidato derrotado ao Senado Fernando Pimentel (PT). Também na Praça da Liberdade, a partir das 9h, haverá a concentração do “Bloco da Dilma” para uma caminhada na região centro-sul de BH. Dilma não estará presente, mas a militância faz uma caminhada na Avenida João Pinheiro, passa pela avenida Afonso Pena, desce até a Amazonas e entra na Rua Tupinambás, até a Praça da Estação.

Quase simultaneamente, também na parte da manhã, José Serra fará uma caminhada próxima dali, na região sul da cidade, a partir da Praça Milton Campos até a Praça Diogo Vasconcelos, mais conhecida como Praça da Savassi. Serra também estará acompanhado pelas principais lideranças do partido em Minas como os senadores eleitos Aécio Neves (PSDB) e Itamar Franco (PPS), e o governador reeleito Antônio Anastasia (PSDB).

Minas Gerais é um estado estratégico, dizem lideranças políticas

Com mais de 14,5 milhões de eleitores, Minas Gerais é o segundo colégio eleitoral do país. No primeiro turno, Dilma Roussef teve cerca de 46% dos votos válidos, contra pouco mais de 30% de José Serra.

O ministro das Relações Institucionais,Alexandre Padilha, que tirou licença do Governo Lula e acompanhou diversos atos da campanha de Dilma em Minas, afirmou a importância de os mineiros escolherem uma candidata que tem identidade com o estado, “que não vem de véspera de eleição”. “Minas Gerais pode saber que o nosso governo é que tem interesse de fazer essa duplicação (da BR-381) com investimentos públicos, e não colocando os pedágios mais caros do país, como é a tradição do nosso adversário”, afirmou.

O senador eleito e ex-governador de Minas, o tucano Aécio Neves disse que a eleição de Serra representa um grande oportunidade para a consolidação do projeto político de Minas Gerais “O que eu tenho dito, desde o início da campanha, é que temos uma grande oportunidade para o Brasil e para Minas Gerais de ter o José Serra presidente da República”, disse. “O Serra tem compromissos claros com o governador Anastasia e haverá uma sintonia, certamente, muito clara entre ambos. E do ponto de vista nacional, acho que era importante encerrar esse ciclo e iniciarmos um outro, onde os governos sejam constituídos pela meritocracia, pela qualidade dos gestores, pelo conhecimento de cada uma das áreas de governo e não apenas pela filiação partidária”.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.