A candidata do PT disse que a decisão de Lula, de que a PF apure 'doa a quem doer', é a melhor coisa para a campanha dela

nullA candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, disse que não responderá mais aos ataques do principal adversário, José Serra (PSDB), quando foi questionada sobre a estratégia da campanha tucana de comparar a quebra do sigilo fiscal de Veronica Serra, com o caso da filha de Lula, Lurian, levado ao ar no programa de Collor em 1989. “Eu não vou mais ficar respondendo factóides que o candidato adversário, no seu desespero, lança todo dia.” Nesta sexta-feira, a petista gravou cenas para o programa eleitoral gratuito na televisão, no Parque Eólico de Porto Alegre (RS).

Dilma mostrou-se safisfeita com a decisão do ministro do Tribunal Superior Eleitoral, Aldir Passarinho Junior, que pediu o arquivamento da representação do PSDB que tentava impugnar a candidatura dela. A petista considerou que o pronunciamento do ministro fala por si só. "Tenho certeza que a Justiça do meu País não será usada para dar força para factóide".

A presidenciável endossou o discurso do presidente Lula ao determinar que a investigação sobre a quebra de sigilo fiscal de pessoas ligadas ao PSDB seja feita pela Polícia Federal. “A decisão do presidente Lula, de que a Polícia Federal precisa agir e apurar doa a quem doer, é a melhor coisa para a minha campanha e para o País”, afirmou.

Dilma afirmou que pretende comparecer ao comício programado para este sábado em Guarulhos (SP), mas, admitiu que pode mudar de planos para ficar perto da filha Paula, que deve dar à luz a qualquer momento. Ela disse admirar a filha por ter decidido aguardar o quanto possível para tentar ter um parto normal, assim como ela própria teve, e que pretende ficar ao lado dela esperando o neto nascer.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.