Dilma diz que salário de delegado paulista é 'uma vergonha'

Em resposta a programa de Serra, a petista disse que São Paulo paga o pior salário entre todos os Estados e o Distrito Federal

Andréia Sadi, enviada ao Rio Grande do Sul |

No dia em que o candidato do PSDB à Presidência, José Serra , lança o seu programa para a segurança, a petista Dilma Rousseff aproveitou um encontro pluripartidário em Porto Alegre, nesta sexta-feira (13), para atacar a gestão tucana em São Paulo. Durante discurso para prefeitos, vice-prefeitos e vereadores do Rio Grande do Sul, a presidenciável disse que é uma “vergonha” o Estado mais rico do País pagar a menor remuneração aos delegados.

“Não estou falando da Polícia Federal, estou comparando com o do Piauí. Paga menos que o Piauí. É o último entre os 27”, referindo-se a todas as unidades da Federação.

Agência Estado
A candidata do PT à presidência da República, Dilma Rousseff,com prefeitos, deputados e vereadores simpatizantes de sua campanha, em Porto Alegre (RS)
Com o objetivo de fazer um ataque direto ao PT, José Serra escolheu a Bahia para lançar seu plano de governo para a área de segurança, que inclui a criação de um “Ministério da Segurança Pública”. Desde o início da pré-campanha, o tucano cita a ideia da nova pasta sem dar detalhes. A petista já havia afirmado que a criação do Ministério da Segurança não era necessária.

Repetindo o presidente Lula, Dilma sinalizou no evento que cumprirá agenda internacional intensa caso vença a eleição de outubro. A candidata rasgou elogios ao seu companheiro de chapa, o presidente do PMDB, Michel Temer. No Estado, o PMDB e o PT são adversários e lançaram candidatos próprios ao governo.

“Pretendo ter na minha retaguarda um presidente competente, presidente em exercício que possa assumir de fato as tarefas que precisam ser assumidas”, disse.

Prefeitos e vereadores de partidos aliados aproveitaram o evento para criticar o que avaliam ter sido um tratamento desigual do Jornal Nacional aos presidenciáveis durante entrevistas nesta semana.

Dilma também voltou a atacar o DEM, partido do vice de José Serra, Indio da Costa, que ajuizou em 2004 uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF) contra o ProUni (programa de bolsas de estudo em universidades particulares).

A ex-ministra da Casa Civil ironizou o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso ao dizer que a gestão dele aumentou a dívida pública de 30% para 60%. " E eles são grandes gestores financeiros..." E alfinetou o adversário tucano afirmando que não promete em ano de eleição, ao comentar a proposta dele de duplicar o bolsa família.

A petista repetiu ainda a crítica contra os modelos de pedágios paulistas e reafirmou que a cobrança é “imposto disfarçado”. “Vocês podem até achar que é grave a situação no Rio Grande do Sul, mas, grave é a de São Paulo”, afirmou.

A crítica de Dilma é uma das bandeiras de campanha do candidato petista ao governo de São Paulo, Aloízio Mercadante. O senador, que tem o tucano Geraldo Alckmin como principal adversário, classifica como “abuso” as tarifas e do número de praças de pedágio e promete debater uma possível revisão nos contratos com as concessionárias.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG