Dilma diz que PT quer derrotar o DEM nas urnas

A candidata acusou o DEM de usar 'método golpista' para 'acabar com essa raça', em referência ao PT, fora do contexto eleitoral

Ricardo Galhardo, enviado a Minas Gerais |

A candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff , rejeitou, nesta terça-feira, em Varginha (Minas Gerais), a tentativa de classificar uma possível vitória eleitoral de seus aliados como projeto hegemonista almejado pelo Partido dos Trabalhadores. Segundo ela, falar em hegemonismo é tirar a legitimidade das eleições.

Questionada se a declaração do presidente Luiz Inácio Lula da Silva sobre “extirpar” o DEM da política nacional revela um projeto de hegemonia, Dilma respondeu:

“Não revela, não. Revela uma coisa muito saudável que é a disputa na democracia. Acho estranhíssimo que sempre que se coloca a questão de a gente vencer as eleições venha uma pergunta chamada hegemonista. Ganhar nas urnas, até onde eu sei, é legítimo. A não ser que a gente comece agora a deslegitimizar vitórias nas urnas”.

A candidata se recusou a falar sobre as denúncias contra a sua ex-braço-direito e sucessora na Casa Civil, Erenice Guerra. “Eu, de fato, não vou comentar mais isso. Não vou ficar sendo pautada por este caso e não fazendo propostas”, disse.

Questionada se não deve satisfações aos eleitores sobre o assunto, Dilma respondeu; “Dei bastante satisfação para o eleitorado. Estão em todas as páginas dos jornais”.

A candidata voltou a defender as declarações de Lula dizendo que elas foram feitas num contexto eleitoral e a chamar os Democratas de golpistas. “Tem uma diferença substantiva entre eles dizerem que vão acabar com a nossa raça e nós dizermos que vamos ganhar deles na eleição. É eleição. Para tirarmos, só tem um jeito, disputar com eles no voto. O que estamos dizendo é que gostaremos de derrotar o DEM nas eleições. O que o DEM falou de nós não estava no contexto eleitoral. Era o método golpista de tirar as pessoas”, afirmou.

A candidata participou de um pequeno comício na quadra de um colégio de Varginha ao lado dos candidatos ao governo de Minas, Hélio Costa (PMDB), e ao Senado, Fernando Pimentel (PT). “Nós vamos precisar de uma parceria entre o governo federal e o governo de Minas. Por isso peço, votem no Hélio Costa e no Patrus (Ananias, candidato a vice) para Minas seguir mudando com o Brasil”, disse ela.

Na sexta-feira, Dilma volta ao Estado para mais uma aparição ao lado de Hélio Costa, que vem perdendo terreno para o tucano Antonio Anastasia nas pesquisas, desta vez, em Juiz de Fora, na Zona da Mata.

    Leia tudo sobre: Eleições DilmaEleições Serrapleito 2010DEM

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG