Ex-ministra disse que apoia projeto aprovado na Câmara que impede políticos com condenação na Justiça de disputar eleição

A ex-ministra da Casa Civil Dilma Rousseff elogiou nesta sexta-feira o projeto Ficha Limpa, aprovado pela Câmara dos Deputados e que agora segue para o Senado. Após participar da missa dos excluídos, que faz parte do Congresso Eucarístico Nacional, em Brasília, Dilma disse que o acordo do projeto é importante e consistente. Para a candidata do PT à Presidência, "infelizmente as novas regras não podem ser adotadas de imediato".

“Acredito que Senado vai avaliar e expressar sua opinião, não sei qual vai ser, mas eu concordo com o processo e lamento que ele não pode ser aplicado nessa eleição, pelo menos por tudo o que aprendi”, comentou segundo o seu blog.

O texto do Ficha Limpa impede que políticos com condenação na Justiça por decisão de um colegiado disputem eleições. Permite, no entanto, que o político condenado possa recorrer para tentar suspender a inelegibilidade e participar da eleição.

Aprovado nesta semana pelos deputados, agora precisa ser analisado pelo Senado. A pressa na votação se deve ao entendimento de que, para valer nas eleições deste ano, o projeto precisa ser sancionado pelo presidente Lula até o início das convenções partidárias que vão definir os candidatos.

O projeto, de iniciativa popular, recebeu 1,6 milhão de assinaturas e foi apresentado ao Congresso em setembro do ano passado.

Ainda nesta sexta-feira, Dilma cumpre agenda em Brasília, em encontro com movimento negro do PT

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.