Mesmo com número bem menor de contribuintes, PT espera arrecadação maior que em 2006

Apesar de todos os esforços da coordenação da campanha para incentivar as doações eleitorais de pessoas físicas e ampliar a base de colaboradores, a candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff , deve ter um número de doadores ainda menor do que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva teve na eleição de 2006. Segundo o tesoureiro da campanha, José de Filippi Jr., Dilma tem até agora apenas 1.500 doadores e a maior parte dos recursos vem de 300 grandes empresas. Em 2006, Lula teve 2.600 doadores, o que já era considerado pelo PT um número baixo.

“É muito pouco. É importante para a democracia que haja uma ampliação do número de doadores”, admitiu Filippi.

Dilma e Lula durante a campanha
Agência Estado
Dilma e Lula durante a campanha
A expectativa do comando da campanha de Dilma era conseguir entre 5 mil e 10 mil doadores por meio de campanhas e, principalmente da internet. Apesar do baixo número de colaboradores, o PT espera arrecadar mais dinheiro este ano do que Lula conseguiu em 2006. O teto registrado no TSE é de R$ 157 milhões. Em 2006 Lula arrecadou R$ 81 milhões.

Para isso foram desenvolvidas várias iniciativas como o sistema de doações online por meio da página da candidata. Diante da falta de entusiasmo dos petistas em colaborar, a campanha acionou sindicatos simpáticos ao partido, instalou barracas nos comícios apelidadas de “Cofrinho da Dilma” para ensinar os eleitores a doarem pela internet e, num esforço final, disparou 20 mil e-mails para dirigentes estaduais e municipais do PT pedindo contribuições.

Mesmo assim o resultado foi decepcionante. Até sexta-feira apenas 1.080 pessoas haviam doado pela internet um total de R$ 120 mil, equivalentes a 0,3% dos 39,5 milhões arrecadados por Dilma até o final de agosto.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.