Dilma descarta Ministério e critica segurança em São Paulo

Para candidata, se criação de pastas para a segurança e assuntos penitenciários desse certo, o crime estaria erradicado em SP

Severino Motta, iG Brasília |

Um dia depois da ação de criminosos no Rio de Janeiro, que invadiram um hotel em área nobre da cidade, a candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, descartou a criação de um ministério da Segurança Pública, como defende o adversário José Serra (PSDB). De acordo com ela, é preciso valorizar a Polícia e investir em ações de inteligência para combater a criminalidade. “Não é o fato de eu criar um Ministério que garante que eu tenha uma boa polícia, se fosse assim o crime estaria erradicado em São Paulo”, disse.

Dilma falou com a imprensa numa coletiva em Brasília e disse que o Brasil precisa preparar a Polícia do século 21, que seria capaz de combater o crime organizado e impedir o tráfico de drogas e armas através das fronteiras nacionais.

“A Polícia do século 21 tem que ser mais eficiente e menos corrupta”, disse. Para tal ela defendeu a melhoria dos salários, treinamento e uso de tecnologia para a corporação. Entre as promessas, Dilma também afirmou que vai comprar 10 aviões não tripulados para fazer o monitoramento das fronteiras. “E um desses vai para o Rio de Janeiro”.

Para o Estado a candidata ainda citou que a instalação de Unidades de Polícia Pacificadora (UPP) serão ampliadas. O modelo, acredita, conjugado com a maior fiscalização das fronteiras seria capaz de desmantelar parte do crime organizado.

    Leia tudo sobre: eleiçõespleito 2010eleições dilmasegurança

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG